Banqueiros defendem mais terceiriza‡Æo

(Itabuna) A XVI edição do Ciab Febraban – Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras – que começou hoje e vai até sexta-feira, em São Paulo, organizado pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), reunindo a nata do sistema financeiro mundial, já aponta para os bancos brasileiros a possibilidade de terceirização do ambiente de Tecnologia da Informação (TI) e mesmo de alguns serviços financeiros, relata o jornal Gazeta Mercantil de hoje. Os principais executivos de tecnologia do Banco do Brasil, Bradesco, CEF e Itaú estão participando do evento.

 

O exemplo dos bancos internacionais, que já praticam o "outsourcing" de sua área de contabilidade e de planejamento estratégico, e o apelo da redução de custos com pessoal e com a otimização de processos já seduzem algumas instituições nacionais. O HSBC e o ABN já fecharam contrato de prestação de serviços, principalmente com a Índia.

 

Para Wilson Gellacic, auditor da Ernst & Young, "terceirizar não será mais apenas uma opção; será uma necessidade". Para ele, os bancos nacionais terceirizam pouco, basicamente os serviços de telecomunicações e call center, atividades que não fazem parte dos negócios principais.

 

O movimento sindical deve está atento a esta movimentação do sistema financeiro, principalmente com a recente revelação da direção do Banco do Brasil que pretende reduzir custos com pessoal. A terceirização além de causar demissões de bancários, precariza o trabalho e impõe grandes riscos para os clientes e consumidores dos serviços dos bancos.

 

Fonte: Ricardo Carvalho – Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram