Riscos do banco digital são destacados em programa de TV

A vice-presidenta da Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, participou na segunda-feira (31) do programa Momento Bancário, da TV dos Bancários (TVB) do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região (SPBancários), que vai ao ar todas as segundas-feiras, às 20h, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube, site e Facebook do Sindicato.

Juvandia e o professor Moisés Marques, diretor acadêmico da Faculdade 28 de Agosto, foram entrevistados por Ivone Silva, presidenta da SPBancários. O programa tratou sobre o banco digital e a necessidade de regulação contra riscos e fraudes deste tipo de serviço bancário.

“As empresas gostam de socializar os riscos, mas ninguém fala de socializar os ganhos. Por que (os bancos) não diminuem a tarifa, os juros já que ganham tanto com a tecnologia? A operação que envolve tecnologia é muita mais barata do que a tecnologia que envolve o trabalhador. Esses ganhos não são socializados entre os trabalhadores, como por exemplo, reduzindo a jornada”, disse a vice-presidenta da Contraf-CUT.

O professor Moisés Marques observou que os bancos são donos não só do sistema financeiros, mas dessas soluções tecnológicas. “A gente precisa se apropriar desses meios para reagir, resistir. A ideia não é lutar contra a tecnologia, mas contra as consequências que ela pode trazer. Têm possibilidades de falhas. Você pode tornar as coisas mais tecnológicas, mas você tem que ter uma estrutura com pessoas preparadas para trabalhar exatamente nesses riscos”.

Ivone Silva destacou que as fintechs ocupam um vácuo que tem na legislação, porque elas não são nem regulamentadas pelo Banco Central.

Assista íntegra do MB.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram