Negociações com a Fenaban começam nesta quinta-feira

(São Paulo) A Contraf-CUT e a Fenaban iniciam nesta quinta-feira, dia 23, as negociações da Campanha Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro. A minuta de reivindicações dos bancários foi entregue no último dia 10.

Entre as principais reivindicações econômicas estão reajuste de 10,3%, que prevê aumento real de salários de 5,5%. Os bancários também querem uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de dois salários, mais uma parcela fixa de R$ 3.500, distribuída de forma linear para todos. Ainda fazem parte da minuta a criação de um piso salarial para todos os bancários de R$ 1.628,24 (salário mínimo definido pelo Dieese para que o trabalhador tenha atendidas suas necessidades básicas), além de Plano de Cargos e Salários em todos os bancos.

“Agora temos que esquentar a mobilização dos bancários e iniciar as atividades de pressão para conseguirmos os avanços que queremos nesta Campanha Nacional. A história nos mostra que as negociações com os banqueiros nunca foram fáceis, portanto, temos de nos mobilizar para arrancar as conquistas da minuta de reivindicações”, diz Vagner Freitas, presidente da Contraf-CUT.

Principais reivindicações da Campanha 2007

Reajuste salarial
10,3% (aumento real de salários de 5,5%)

Participação nos Lucros e Resultados
Dois salários, mais uma parcela fixa de R$ 3.500, distribuída de forma linear para todos

Piso salarial da categoria
R$ 1.628,24 (salário mínimo do Dieese)

Plano de Cargos e Salários
Em todos os bancos

Remuneração complementar
10% do total das vendas de produtos feitas em cada unidade, distribuído de forma linear para todos os empregados da unidade, creditados mensalmente como verba salarial, incidindo sobre FGTS, 13º, férias e descontos previdenciários.
Remuneração complementar também sobre a receita de prestação de serviços para todos os bancários. O benefício reivindicado é de 5% da arrecadação, distribuídos trimestralmente de forma linear a todos os bancários de cada instituição.

Garantia de Emprego
Cumprimento da Convenção 158 da OIT

Fim do assédio moral/organizacional

Fim das metas abusivas

Isonomia de Direitos entre novos e antigos bem como com afastados e licenciados

Piso do Dieese para a categoria

Igualdade de Oportunidades

Defesa e fortalecimento dos bancos públicos

Redução dos juros e tarifas e ampliação do crédito produtivo

Fonte: Contraf-CUT

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram