Lucro do Banco da Amazônia cresceu 69,1% em 2018

O lucro líquido do Banco da Amazônia atingiu R$ 109,1 milhões em 2018, com crescimento de 69,1% em relação ao ano anterior. Segundo análise realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o crescimento é resultado da redução da provisão para devedores duvidosos e das despesas de Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

A Carteira de Crédito atingiu R$ 2,7 bilhões, com queda de 7,1% em relação a dezembro de 2017. O crédito comercial caiu 21,3%, em doze meses, atingindo um total de R$ 877,8 milhões. Segundo o Banco, “o principal motivo da queda na carteira está relacionado com a liquidação de operações (e não renovação) de grande volume, em consonância com a política interna de pulverização do crédito”. As Despesas com Provisionamento para Devedores Duvidosos caíram 37,1%, somando R$ 138,4 milhões. As taxas de inadimplência do banco não são mencionadas no relatório.

Apesar de ter encerrado o ano de 2018 com 501 funcionários a mais do que em 2017, as despesas com o quadro de pessoal caíram 3,8%. Com aumento 7,2% das receitas obtidas com prestação de serviços e tarifas bancárias, somente com essa receita secundária o banco consegue cobrir toda a despesa de pessoal ainda sobra 44% destas receitas.

Veja abaixo a tabela resumo da análise do Dieese, ou veja o documento na íntegra.

Fonte: Contraf-CUT

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram