Itaú usa truculência da PM em paralisação dos bancários do Rio contra demissões

Os bancários do Itaú realizaram paralisações em nove agências de vários bairros, em protesto contra a política de demissões em massa do banco. As paralisações ocorreram em São Cristóvão, Abolição, Largo do Bicão, na Vila da Penha, Conde de Bonfim, na Tijuca, além de três unidades do Centro. O banco continua demitindo milhares de trabalhadores sem qualquer justificativa. O projeto da família Setúbal, com a expansão das agências digitais, é demitir 30 mil bancários em menos de dez anos.

Durante a atividade, a direção do banco chamou a Polícia Militar para tentar coibir a mobilização dos trabalhadores. Policias usaram de truculência contra dirigentes sindicais, num desrespeito à categoria.

“Mesmo com a truculência da PM, acionada pelo Itaú para obrigar a abertura e o funcionamento das agências, a paralisação teve êxito e é uma resposta à política perversa de demissões. Este não é o papel da polícia. Não somos bandidos. Nosso movimento é pacífico na defesa do emprego dos bancários”, disse a presidenta do Sindicato, Adriana Nalesso. Ela disse que a postura da direção do Itaú não vai calar o Sindicato. “Não será desta forma que o banco vai conseguir impedir a nossa mobilização. Muito pelo contrário. Atitudes arbitrárias como estas só nos dão mais força para lutar pela categoria”, acrescenta.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram