Cassi: Proposta das entidades mantém solidariedade do custeio

Princípio é de que quem ganha mais ajuda a custear o plano de quem ganha menos

As entidades de representação dos funcionários da ativa e aposentados (Anabb, AAFBB, Contraf-CUT e FAABB) elaboraram uma proposta para a manutenção da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), que já foi aprovada pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Deliberativo da entidade e enviada para análise do banco. Se o banco aceitar a proposta, a mesma será encaminhada para apreciação do corpo de associados.

A proposta mantém o caráter solidário do custeio da Cassi. A contribuição continuará sendo cobrada pelo percentual de salário. A premissa é de que quem ganha mais ajuda a custear o plano de quem ganha menos.

Definição de solidariedade

Entre as definições da palavra solidariedade, o dicionário diz que é o “compromisso pelo qual as pessoas se obrigam umas com às outras e cada uma delas a todas”.

Dependentes

Também não há quebra de solidariedade para os dependentes. As verbas não são “carimbadas”. A contribuição que será paga pelo BB para os dependentes dos funcionários da ativa será usada também para os dependentes dos aposentados.

Aposentados

De acordo com a proposta, o desembolso de um aposentado com o dependente, será de 2%, limitado a R$ 300. Para os funcionários da ativa, caso ele tenha família com três dependentes, a contribuição estipulada é de 1,75%, sendo 1% para o primeiro dependente, 0,5% para o segundo e 0,25% para o terceiro. Sobre uma remuneração de R$ 10 mil, esses 0,25% de diferença do exemplo, soma R$ 25.

Fonte: Contraf-CUT

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram