Sindicato faz ação sindical contra fechamento de agências do Itaú na Grande Vitória (ES)

Mesmo com lucro R$ 25,7 bilhões em 2018, o Itaú promoveu demissão em massa no início do ano e anunciou o fechamento das agências da Avenida Champagnat, em Vila Velha e da Reta da Penha, na capital
Bancários e bancárias do Itaú de Vitória, no Espírito Santo, se uniram, na quarta-feira (10), em protesto contra o fechamento das agências
Bancários e bancárias do Itaú de Vitória, no Espírito Santo, se uniram, na quarta-feira (10), em protesto contra o fechamento das agências

Bancários e bancárias do Itaú de Vitória, no Espírito Santo, se uniram, na quarta-feira (10), em protesto contra o fechamento das agências, pelo fim das demissões e por respeito aos trabalhadores e clientes. Após promover, no início do ano, demissões em massa, o Itaú acaba de anunciar o fechamento de duas agências na Grande Vitória: da Avenida Champagnat, em Vila Velha e da Reta da Penha, na capital. A redução no número de agências não condiz com o exorbitante lucro obtido pelo banco no último ano, de R$ 25,7 bilhões, e pode gerar ainda mais demissões.

O fechamento de agências além de reduzir postos de trabalho, ainda sobrecarrega os bancários de outras unidades, cujas demandas são ampliadas, e prejudica a qualidade do atendimento aos clientes.

“É inadmissível que um banco altamente lucrativo como Itaú penalize seus empregados e clientes, promovendo demissões e restringindo o atendimento com o fechamento de agências. A única preocupação do banco é com o lucro, que ele obtém em cima da sobrecarga de trabalho e da cobrança de tarifas e juros abusivos de seus clientes”, enfatiza o diretor do Sindicato dos Bancários do Espírito Santo, Carlos Pereira de Araújo.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram