Sindicato dos Bancários de BH conquista melhorias na PLR do Mercantil do Brasil

O Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte realizou, na quinta-feira (17), em sua sede, uma reunião com o Banco Mercantil para deliberações sobre o programa próprio de Participação nos Lucros e Resultados do banco para o ano de 2019.

Os trabalhadores e o Sindicato foram representados pelo funcionário do Mercantil do Brasil e diretor da entidade, Marco Aurélio Alves e pelo advogado Sávio leite. Já o banco foi representado pelos Superintendentes de RH Márcio Ferreira e José Bahia e pelos Gerentes do GDN, Igor Magalhães e Sérgio Batista.

No início das discussões Marco Aurélio Alves argumentou sobre o abusivo incremento de 30% na meta de lucro do banco para o ano de 2019, passando para R$ 130 milhões, e a meta de redução de despesas. Denunciou também a imposição do banco em pagar o programa próprio somente com o cumprimento de 100% das metas.  Marco Aurélio lembrou que em anos anteriores causou bastante insatisfação aos funcionários o não cumprimento integral das metas estabelecidas e a consequente redução dos valores recebidos a título de programa próprio de PLR. O Sindicato solicitou também a inclusão de dependentes no recebimento do programa próprio em caso de falecimento do funcionário.

Diante ao impasse, o Banco Mercantil recuou de sua posição inicial e abriu a possibilidade de um gatilho que contemple o pagamento do programa próprio de PLR a partir do cumprimento de 80% da meta, ou seja, os funcionários passam a receber, proporcionalmente, a partir do atingimento do lucro de R$ 104 milhões, uma redução de R$ 26 milhões. O gatilho de cumprimento de 80% das metas também inclui a redução de despesas e BSC, que representa o total de 50% do peso do Programa próprio, 25% cada, respectivamente. O banco também anunciou o gatilho para o programa próprio de PLR dos funcionários do Banco Mercantil de Investimentos, BMI, empresa coligada do grupo. Segundo os representantes do banco, são excelentes as perspectivas de lucro para 2019, pois a empresa conseguiu absorver bem os impactos negativos de anos anteriores com bons indicativos de apresentar resultado operacional positivo em 2018.

 O Sindicato agora espera a nova redação do programa próprio de PLR, para apreciação, discussão e deliberação junto a base em assembleia que será convocada especificamente para esse fim.

Para Marco Aurélio Alves, é de suma importância a participação dos bancários do Mercantil do Brasil nos debates para que possam dar sugestões acerca do Programa. “O sindicato arrancou melhorias significativas, entretanto, somente aqueles trabalhadores que estão na ponta do processo, conseguem identificar melhor eventuais distorções e falhas do programa, denunciando junto ao seu sindicato para que possamos lutar por melhores condições de emprego e condições de vida dos trabalhadores”, afirmou.

 

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram