Comitês estaduais vão ajudar a defender empresas públicas

A reunião das entidades que defendem as empresas públicas brasileiras e lutam contra a aprovação do PLS 555, ocorrida na tarde de quarta-feira (3), em Brasília, logo após ter sido conquistado o adiamento da votação do projeto, definiu os próximos passos do movimento, que já tem adesão nacional.

A orientação do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas é de um permanente incentivo à atuação das categorias, de modo regionalizado, com a criação de comitês estaduais para fortalecer o movimento e alertar a população sobre os riscos da privatização de empresas públicas, prevista no projeto.

Também foi sugerido que as entidades nos Estados e municípios sejam mobilizadas para contatar senadores, governadores, prefeitos, gestores das empresas públicas e deputados federais. A percepção é de que poucos estão sabendo do impacto que a aprovação da lei terá se o projeto não for alterado.

Foi deliberada, ainda, a criação de materiais cujas artes serão disponibilizadas para que as entidades possam reproduzir e distribuir nos seus Estados. Alguns desses materiais já podem ser acessados na página de downloads do site www.diganaoaopls.com.br Novas ações de convencimento nos aeroportos para sensibilizar os parlamentares sobre os riscos do PLS também deverão ser realizadas.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram