1535 resultados Ver todos os resultados
1535 resultados Ver todos

Campanha Nacional dos Bancários 2024 vai conectar a luta de todos por um futuro melhor

Imagem ilustrativa

Com mensagens simples e objetivas, campanha foca na reconstrução da confiança e na união dos bancários pela valorização da história de luta e conquistas da categoria

Neste domingo, último dia da 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, realizada em São Paulo, o secretário de Comunicação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Elias Jordão, apresentou as peças iniciais da arte da Campanha Nacional 2024 e destacou a importância da participação de cada federação, sindicato e, especialmente, de cada bancária e bancário para o sucesso da campanha, alinhada ao lema da conferência: "Futuro se faz juntos!".

Elias explicou que os bancos estão afastando as bancárias e os bancários das agências, transformando-os em “agentes de vendas” que visitam seus clientes e trabalham remotamente. “Este afastamento dificulta o contato dos sindicatos com os trabalhadores, prejudicando a visão que eles têm das entidades de representação sindical. Durante as conversas no Coletivo Nacional de Comunicação da Contraf-CUT, foi identificado que todos os pontos-chave levantados para compor a arte da Campanha Nacional visam reconstruir a conexão entre as entidades e os trabalhadores. A campanha busca restabelecer o elo de confiança e comunicação com os bancários, por meio da transparência e do resgate da história de luta e conquistas da categoria.”

Para Elias, a reconstrução da confiança é um processo contínuo, que requer consistência ao longo do tempo. “É fundamental relembrar de onde viemos e para onde estamos indo, sempre mantendo as promessas feitas e o compromisso com a transparência, responsabilidade e comunicação honesta. Para estabelecer um relacionamento genuíno entre bancários de base e sindicalistas, é necessário valorizar a história das bancárias e bancários, sempre baseada no interesse e mobilização da categoria.”

A campanha deste ano enfatiza que as conquistas dos bancários, tanto individuais quanto coletivas, são resultado de lutas coletivas e desafios vencidos por todos. “A ideia é mostrar que os sucessos dos bancários e dos sindicatos estão conectados, e que essa conexão sempre foi bem-sucedida. Nas peças e materiais de divulgação, serão destacadas as conquistas de maneira autêntica, com personalidade e valores, para estabelecer a conexão e ajudar a reconstruir a confiança e a credibilidade desse relacionamento que se mostrou tão assertivo na história de luta da categoria. Os sindicatos sempre estiveram na luta e nas conquistas, oferecendo suporte, compartilhando recursos e colaborando para um futuro melhor”, revelou o secretário de Comunicação.

A campanha será apoiada em dados e fatos, com textos simples e diretos. “O objetivo é transmitir a mensagem clara e usar as imagens como apoio, permitindo posteriormente a utilização criativa nas composições. Serão abordadas conquistas, desafios enfrentados pela categoria e a presença constante dos sindicatos na luta”, contou.

Antes de apresentar a marca da campanha, Elias fez um agradecimento especial a todos que contribuíram para sua construção. “Os dirigentes que compartilharam ideias, o Coletivo de Comunicação da Contraf-CUT que aprofundou os debates, o Comando Nacional que refinou o conceito, a equipe de Comunicação e Imprensa da Contraf que sintetizou as contribuições, e as entidades sindicais que cederam profissionais e dirigentes para contribuir com a construção da ideia.”

A Campanha Nacional dos Bancários 2024 é um convite à luta coletiva pelos direitos dos trabalhadores do setor financeiro. O lema "#ASuaLutaNosConecta" reflete o compromisso de envolver cada bancária e bancário em uma luta que é de todos. A campanha se concentra em questões essenciais como emprego, saúde mental, aumento real, PLR, manutenção de direitos, diversidade e inclusão. “Estamos todos conectados por um bem maior: a vida. A luta é de todos nós!”, finalizou.

Notícias Similares

Imagem ilustrativa

Comando Nacional dos Bancários entregará minuta de reivindicações à Fenaban no dia 18

No mesmo dia, trabalhadores do BB e da Caixa farão a entrega das minutas específicas de cada banco

Imagem ilustrativa

Bancários aprovam minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2024

Documento, que servirá de base à renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, será entregue à Fenaban no próximo dia 18

Imagem ilustrativa

Minuta de reivindicações da categoria vai à votação em todo o país

Assembleias serão realizadas nesta quinta (13), para que bancárias e bancários das bases representadas pela Contraf-CUT possam deliberar sobre minutas de reivindicações para renovação da CCT e dos ACTs

Imagem ilustrativa

Trabalhadores entregam minuta de reivindicações ao Santander

Encontro é o primeiro passo para o início das negociações do ACT específico dos trabalhadores do banco

Imagem ilustrativa

26ª Conferência Nacional aprova reivindicações da campanha

Aumento real de 5%, PLR maior e ampliação de direitos; fim do assédio e dos instrumentos adoecedores na cobrança de metas; defesa dos empregos, impactados pelos avanços tecnológicos no trabalho bancário; são três dos nove eixos de reivindicações

Imagem ilustrativa

Aumento real é prioridade para bancários

Consulta Nacional ouviu 46.824 trabalhadoras e trabalhadores da categoria em todo o país; aumento real, aumento da PLR e aumento maior para o VA e VR são as três prioridades econômicas

Imagem ilustrativa

Categoria desenvolve cartilha de atuação em redes sociais

Projeto, que já está em fase de finalização, foi apresentado durante 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

Imagem ilustrativa

Resultados e conjuntura impactam negociações deste ano

Reajustes obtidos pelos trabalhadores dos últimos 15 meses e manutenção da alta rentabilidade dos bancos podem favorecer negociações dos bancários

Imagem ilustrativa

Grandes empresas de tecnologia detêm informações políticas e econômicas

Controle de sistemas de busca, interação e armazenamento do mundo digital, por grandes corporações, concentradas em sua maioria nos Estados Unidos, geram um colonialismo digital

Imagem ilustrativa

Pedro Serrano analisa a conjuntura nacional e o combate à extrema direita no Brasil e no mundo

Não há mais itens para carregar no momento