Campanha de Valorização da Diversidade é apresentada na 21ª Conferência Nacional dos Bancários

Para que a atuação dos agentes da diversidade seja efetiva, foi criada uma carta de compromisso, que determina as responsabilidades do agente

Durante a 21ªConferência Nacional dos Bancários, a secretaria de Políticas Sociais da Contraf-CUT apresentou a Campanha de Valorização da Diversidade. A proposta é uma conquista da categoria bancária durante as mesas de negociação com a Fenaban e tem o objetivo de criar agentes da diversidade nos locais de trabalho e na sociedade para combater a discriminação e promover atitudes inclusivas e oportunidades igualitárias. A Campanha acontece ao mesmo tempo em que é aplicado o 3º Censo da Diversidade.

De acordo com Rosalina Amorim, secretária de Políticas Sociais da Contraf-CUT, dentre os compromissos do agente da diversidade está o de levantar debates nas bases. “A campanha é fundamental para o combate à discriminação. Temos que ter o compromisso de ir à base dialogar com a categoria sobre a campanha e pedir para que os bancários se cadastrem para ser agente da diversidade. ”, afirmou.

Para que a atuação dos agentes da diversidade seja efetiva, foi criada uma carta de compromisso, que determina as responsabilidades do agente:

  1. Promover o respeito à diversidade e a cultura de paz, para a construção de um ambiente mais saudável, democrático e pacífico
  2. Combater toda e qualquer forma de discriminação contra as mulheres, negros, LGBT+, imigrantes, jovens, idosos e pessoas com deficiência.
  3. Combater a intolerância religiosa e política.
  4. Não ter, nem participar de atitudes e/ou fala machistas, racistas, LGBTfóbicas, xenofóbicas, de cunho discriminatório contra pessoas com deficiência, geracional e nem de intolerância religiosa.
  5. Defender a igualdade salarial entre homens, mulheres, brancos e negros.
  6. Não cometer assédio moral ou sexual.
  7. Defender a acessibilidade para pessoas PCD
  8. Respeitar o nome social e identidade de gênero das pessoas travestis e transexuais.
  9. Resolver os conflitos com base no diálogo e no respeito.
  10. Não silenciar diante dos casos de assédio sexual ou violência doméstica e denunciá-los aos órgãos competente.

Material da Campanha

As peças da Campanha de Valorização da Diversidade foram criadas a partir do conceito de unidade. “Cada parte com sua importância dentro da integralidade. Todas as peças, todas as diferenças, todas as cores são importantes para compor uma única sociedade, de direitos e oportunidades igualitária”, explicou Almir Aguiar, secretário de Combate ao Racismo da Contraf-CUT.

De acordo com ele, as mãos unidas mostram a força de cada grupo e direcionam para a hashtag:   #ninguémsoltamãodeninguém. “São estas mãos que seguram as peças do quebra-cabeças, que se unem e mostram a mesa de negociação iniciada por nossos debates, lutas e conquistas.”

A secretária da Mulher da Contraf-CUT, Elaine Cutis, afirmou que o desafio dessa campanha é formar agentes efetivos não só nos locais de trabalho, mas em toda a sociedade. “A Campanha de Valorização da Diversidade  faz parte de um projeto de conscientização, que começou com a aplicação do Censo da Diversidade e foi ampliado até a criação do agente. O agente da diversidade tem que ir além dos debates. Eles também terão de identificar as situações de preconceito nos locais de trabalho e na sociedade e denunciá-las aos sindicatos”, finalizou.

A mesa de apresentação da Campanha de Valorização da Diversidade contou com a participação dos membros da Comissão de Gênero, Raça, Orientação Sexual e Trabalhadores e Trabalhadoras com Deficiência  (CGROS).

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram