Campanha: Contraf aprova calendário de mobilizações e jornada de lutas

(São Paulo) A Executiva da Contraf-CUT aprovou nesta quarta-feira, dia 22, uma proposta de mobilização para a Campanha Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro. O objetivo é aumentar a pressão sobre os bancos e garantir o envolvimento da sociedade na luta que é de todos.

A proposta de mobilização da Contraf-CUT prevê a realização de semanas temáticas. O objetivo é que nas próximas três semanas, os trabalhadores realizem atividades ligadas a um tema específico, começando pela saúde e condições de trabalho, seguida pela semana da garantia de emprego e ampliação da renda e, por último, sobre o sistema financeiro nacional e desenvolvimento sócio-econômico.

Após essas atividades temáticas, a Contraf-CUT vai realizar uma Jornada de Lutas da categoria, em Brasília. Durante a quarta semana, os representantes dos bancários estarão na capital federal em audiências com as autoridades governamentais, entre elas, os ministro do Trabalho e Emprego, da Fazenda, da Previdência Social, o Ministério Público do Trabalho, o Supremo Tribunal Federal, deputados e senadores.

Os objetivos das audiências, entre outros, é discutir o impacto da venda do ABN/Real na concentração do setor bancário brasileiro, as especulações quanto à fusão BB e Caixa Federal, a fiscalização precária dos bancos por parte do Bacen, entre outros.

Confira abaixo a proposta de atividades da Contraf-CUT. E clique aqui para ler a entrevista com o presidente da Confederação, Vagner Freitas, sobre as mobilizações.

Semanas temáticas

1. Saúde e condição de trabalho
* Assédio Moral / violência organizacional
* Metas abusivas
* Igualdade de oportunidades
* Respeito à jornada de trabalho
* Segurança bancária.

2. Garantia de emprego e ampliação da renda
* Isonomia.
* Respeito à convenção 158 da OIT.
* Elevação dos pisos de funções.
* PLR.
* Contratação da remuneração variável.
* Representação e contratação do ramo financeiro.

3.Sistema financeiro nacional e desenvolvimento sócio-econômico
* Regulamentação do sistema financeiro nacional.
* As atribuições dos bancos públicos.
* Debater a natureza e o alcance da concessão pública das atividades bancárias.
* Ampliação do crédito bancário e o crescimento econômico, com distribuição de renda.
* Tarifas abusivas e qualidade do atendimento bancário.

Jornada Nacional de Lutas da categoria (em Brasília)

Além as semanas temáticas e da Jornada Nacional de Lutas, a Contraf-CUT pretende audiências com as autoridades públicas:

* Ministro do Trabalho e Emprego.
* Ministro da Fazenda.
* Ministro da Previdência Social.
* Ministério Público do Trabalho.
* Supremo Tribunal Federal.
* Audiências públicas no Senado e na Câmara Federal.
* Polícia Federal (relacionada à segurança bancária).
* E canais de interlocução com a ANAMATRA.

Os objetivos das audiências, entre outros, é:
* O impacto da venda do ABN-Real na concentração do setor bancário brasileiro.
* As especulações quanto à fusão BB e Caixa Federal.
* Fiscalização precária dos bancos por parte do BACEN.
* Controle social do sistema financeiro com a ampliação do Conselho Monetário Nacional.
* Expansão do crédito agrícola para pequenos produtores e agricultura familiar.
* Universalização do atendimento bancário com mais contratações.
* Debater a relação do governo com o sistema financeiro.

Fonte: Contraf

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram