SINTRAF JF mantém fechadas três agências da cidade em protesto

Em todo o país, trabalhadores do Banco Santander cruzaram os braços para manifestar sua indignação com a imposição de novas regras que prejudicam o trabalhador, como o “Acordo de Banco de Horas”, mudanças dos dias de pagamento e demissões. O Dia Nacional de Luta é motivado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, a Contraf-CUT, e sindicatos filiados.

Além da implantação de novas regras, que ferem o acordo coletivo de trabalho firmado em 2016 com vigência até agosto de 2018, o SINTRAF JF tem uma motivação a mais para intensificar o enfrentamento aos abusos do banco espanhol. No último dia 19, uma dirigente sindical e funcionária do Santander foi demitida, o que está se tornando prática corriqueira do banco em diversas agências do país e demonstra desrespeito ao movimento sindical e à organização dos trabalhadores.

Com o intuito de mobilizar os funcionários do Banco para paralisarem suas atividades no Dia Nacional de Luta, ontem (30), foi realizado um ato em frente a agência onde a dirigente trabalhava. E hoje, além dessa agência, o SINTRAF JF mantem outras duas agências fechadas durante todo o dia.

Nos dois dias, os sindicalistas estão entregando materiais e dão visibilidade a esses e outros abusos, como práticas de assédio moral. O panfleto ainda alerta para o desrespeito do banco com os clientes, que pagam as maiores tarifas praticadas no mercado e enfrentam demora no atendimento por conta da falta de profissionais para atendê-los, com a intensificação das demissões.

A diretoria do sindicato promete manter-se mobilizada realizando diversas atividades até que a direção do Banco anule a demissão da dirigente sindical e pare de desrespeitar a classe trabalhadora, nossas manifestações e o movimento sindical.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram