Sindicato protesta contra Santander abrir agências aos sábados na Paraíba

A direção do sindicato repudiou a atitude do banco, que fere a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT)

O Sindicato dos Bancários da Paraíba protestou, neste sábado (11), em frente à agência do Santander, da Praça 1817, localizada no Centro de João Pessoa, contra a abertura do banco aos sábados. A direção do sindicato repudiou a atitude do banco, que fere a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).
“A abertura das agências nos finais de semana é mais um ataque e demonstra a política de austeridade que vem sendo implementada pelo banco espanhol, que justifica como sendo uma forma de oferecer orientações financeiras aos clientes e à população, por meio do trabalho ‘voluntário’ dos próprios funcionários”, disse o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves.
“O Santander Brasil obteve em 2018 um lucro líquido de R$ 12,166 bilhões (alta de 52% em relação ao obtido em 2017) e que já registrou lucro líquido de R$ 3,415 bilhões no 1º trimestre deste ano (que representa um crescimento de 21,1% na comparação com o mesmo período do ano passado) às custas das maiores taxas de juros do mercado e cobrança de tarifas abusivas. Agora, para justificar sua ganância, alega estar inovando ao oferecer educação financeira aos clientes. Seria uma iniciativa louvável se o banco espanhol não fosse a instituição financeira que mais abusa do bolso do consumidor. Apesar do lucro nas alturas, mais estarrecedor e deplorável ainda é ‘pedir’ aos bancários que trabalhem aos sábados como voluntários; ou seja, de graça. Isso é uma falta de respeito sem tamanho e não se pode permitir que prossiga, tendo em vista os precedentes de exploração e quebra de acordo que configuram tamanho abuso contra os funcionários, que já passam por tantos transtornos no exercício laboral, enfrentando metas inalcançáveis e sobrecarga de trabalho”, arrematou o presidente do Sintrafi-PB.
Ele enfatizou que o Sindicato apoia integralmente as ações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) para barrar os absurdos cometidos pelo banco espanhol, fazendo o devido enfrentamento que o caso requer.    
“Estamos diante de uma empresa que é campeã de reclamações no Banco Central do Brasil. Além disso, segundo o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), entre as 20 tarifas nos cinco maiores bancos, o Santander foi o Campeão em quantidade de tarifas mais caras, cobrando mais que os demais por 12 delas. O slogan ‘Simples, pessoal e justo’, que o Santander usa na propaganda, está longe da realidade. O banco explora a população e funcionários, mas quer melhorar a imagem com uma prática pior ainda, ao ‘convidar’ os bancários para trabalhar nos finais de semana. Por isso, vamos resistir e lutar contra essa ganância desenfreada, travestida do artifício de estar oferecendo educação financeira à clientela”, concluiu Marcelo Alves.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram