Sindicato luta pelo não fechamento do Super BB, em Rondônia

Dirigentes sindicais alertaram que com o fechamento, todos os funcionários ficarão sem cargos e serão obrigados a ser realocados para outras agências em outros municípios ou outros estados

O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (Seeb-RO) foi até à Assembleia Legislativa de Rondônia, nesta terça-feira (13), buscar apoio parlamentar para que a Superintendência do Banco do Brasil, em Rondônia, não seja fechada, conforme foi anunciado pela direção nacional do banco.

O presidente da ALE-RO, deputado estadual Laerte Gomes informou que ainda nesta terça-feira a presidência vai fazer indicação oficial sobre o assunto à Presidência da República, à presidência nacional do BB e ao Ministério da Economia, para exigir que o processo de reestruturação não acarrete no fechamento da Super BB de Rondônia que, por sua vez, seria ‘absorvida’ pela Superintendência de Manaus (Amazonas).

Os dirigentes sindicais alertaram que com o fechamento, todos os funcionários da SuperBB em Rondônia vão ficar sem cargos e serão obrigados a ser realocados para outras agências em outros municípios ou outros estados. O que seria um prejuízo enorme para os trabalhadores, já que além de promover um impacto – sem aviso prévio – na vida desses trabalhadores – e de suas famílias – aqueles que não puderem se mudar para outros estados ficarão sem função, pois em Rondônia não encontrarão lotação.

O Estado também seria prejudicado

Além do fechamento da superintendência de Rondônia, inúmeras agências estão sendo sumariamente “redimensionadas” para baixo, reduzindo o nível para simples postos de atendimentos (PA), o que causa a imediata redução do número de funcionários que atendem ao público. Um exemplo é o da agência do banco na Av. Mamoré em Porto Velho, que foi reduzida para posto de atendimento. Com isso, as constantes e imensas filas irão aumentar significativamente.

Para o SEEB-RO a postura do Banco do Brasil é irresponsável e desrespeitosa com o povo rondoniense, pois, considerando se tratar de um banco público, tais mudanças tão drásticas teriam que ser comunicados com antecedência às autoridades e à sociedade. Mais do que isso, teriam que ser demonstrados os impactos em relação às condições de atendimento à população e os prováveis prejuízos quanto aos financiamentos, principalmente, da atividade produtiva no Estado.

De acordo com o informado pelo SEEB-RO, o sindicato também tem intensificado sua campanha em busca de apoio pelo não fechamento da Super BB Rondônia junto aos parlamentares da bancada federal de Rondônia.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram