Senadores criticam projeto da terceirização na Comissão de Direitos Humanos

Senadores comparam terceirização a trabalho escravo em audiência

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) realiza nesta quinta-feira (14) audiência pública para debater o projeto de lei da Câmara que regulamenta e expande os contratos de terceirização no país.

Durante a abertura da audiência, cujo tema é “A Lei Áurea, a terceirização e o combate ao trabalho escravo”, o presidente da CDH, senador Paulo Paim (PT-RS), lamentou que alguns setores ligados ao sindicalismo ainda apoiem o projeto aprovado pela Câmara, que libera a terceirização para as atividades-fim das empresas.

“Estamos esperando que vocês reflitam melhor sobre a posição que tomaram, estamos aguardando por vocês. Cerca de 80% dos casos de acidentes no trabalho envolvem terceirizados. Quem tem compromisso com a classe trabalhadora não apoia esse projeto, ” afirmou.

O senador Telmário Motta (PDT-RR) também fez duras críticas ao texto final aprovado pela Câmara e que agora está sendo analisado no Senado.

“Liberar a terceirização para as atividades-fim é retornar à escravidão. Forças muito poderosas estão por trás desta proposta, a sociedade precisa estar atenta, ” alertou.
T
elmário ainda elogiou o Senado por ter regulamentado recentemente a PEC das Domésticas e defendeu o fim do fator previdenciário.

Já Fátima Bezerra (PT-RN) conclamou todas as centrais sindicais e movimentos sociais a se unirem contra o projeto da terceirização. Disse que seu partido é contrário à proposta e lamentou que o Congresso esteja passando por “uma fase conservadora”.

” Isso se reflete na aprovação desse projeto pela Câmara, na diminuição da idade penal, e até mesmo na forma como vem sendo conduzida a reforma política, ” afirmou a senadora.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram