SEEBCG-MS sedia 15ª Jornada de Debates do Dieese sobre Reforma da Previdência

Evento informa e posiciona os trabalhadores sobre os impactos da reforma

A 15ª edição da Jornada Nacional de Debates do Dieese vai discutir os impactos da PEC 06/2019, que trata da Reforma da Previdência Social, na próxima terça-feira (23), às 19h, na sede do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região (SEEB-CG). O evento é realizado pelo Dieese em parceria com o sindicato, entidade sócia do órgão.


O presidente do SEEB-CG, Edvaldo Barros, ressalta a importância da participação da categoria. “Nós convidamos a todos e contamos com a presença dos bancários porque esse é um momento importante para esclarecer as dúvidas. Nesse debate, o bancário vai ter a oportunidade de se informar e ter um posicionamento correto sobre os impactos dessa reforma”. 

Bancários, trabalhadores de outras categorias e população em geral podem participar do seminário. Na palestra “PEC 06/2019: a proposta de Reforma da Previdência”, a economista e supervisora técnica do escritório regional do Dieese/MS, Andreia Ferreira, abordará os aspectos gerais da Reforma da Previdência, impactos no setor público e privado e outras mudanças. “Vamos tratar também de assuntos que poucos trabalhadores estão sabendo. Por exemplo, além da aposentadoria, a reforma traz alterações no pagamento de benefícios como auxílio-maternidade, abono salarial, salário-família e auxílio-reclusão”.

A advogada especialista em Previdência Social, Fernanda Nunes, ministrará a palestra “Reforma da Previdência: impactos para os bancários” para destacar as questões específicas que podem prejudicar a categoria.

A proposta da Jornada Nacional de Debates é dar subsídios ao movimento sindical para o enfrentamento da Reforma da Previdência, que tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.

Mudanças

A Reforma da Previdência aumenta o tempo de contribuição mínimo de 15 para 20 anos, com direito a apenas 60% do valor do benefício, e passa a exigir idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres. Para atingir 100%, será preciso 40 anos de contribuição. Se a proposta for aprovada, a aposentadoria por tempo de contribuição será extinta.

A PEC 6/2019 prevê ainda mudanças no cálculo da aposentadoria. Pela regra atual, o valor é definido a partir da média dos 80% maiores salários de contribuição. Pela Reforma, será feita a média de todos os salários de contribuição, o que leva ao rebaixamento do valor da aposentadoria, uma vez que os salários menores serão considerados no cálculo.




Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram