São Paulo registra primeiros casos de feminicídios com mulheres como suspeitas

Suspeita do crime é a companheira da vítima
Divulgação

O estado de São Paulo registrou, no último mês de 2019, os primeiros casos de feminicídio executado por mulheres. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, o primeiro caso a ser registrado ocorreu em Votuporanga, no interior de São Paulo, no dia 17 de dezembro. 

A suspeita do crime é a companheira da vítima, que foi presa em flagrante por feminicídio e violência doméstica e assumiu a autoria. A legislação prevê penalidades mais graves para homicídios que se encaixem na definição de feminicídios, que envolvam violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Para Elaine Cutis, secretária da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os casos mais comuns de violência contra a mulher acontecem dentro de casa. “Precisamos alertar as mulheres sobre a importância da denúncia de casos de violência. Não podemos nos calar diante de tantos crimes. É de extrema importância que o governo também invista em políticas públicas para dar suporte à essas vítimas e combata, de fato, os feminicídios”, afirmou.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram