Resistência é destaque na 9ª Oficina Rede Uni América Mulheres

Encontro ressaltou a importância do combate à violência contra a mulher

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) participou, entre os dias 2 e 5 de junho, da 9ª edição da Oficina da Rede Uni Américas Mulheres. O encontro, realizado na Praia Grande, em São Paulo, teve como tema principal “O desmonte de direitos sociais e os impactos na vida das mulheres”.

O evento contou com 68 participantes e uma cota de 30% de homens. Dentre os participantes, 32 eram representantes da Contraf-CUT. Também estiveram presentes outras entidades filiadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais centrais sindicais filiadas à Rede Uni Américas.  

Para a secretaria da Mulher da Contraf-CUT, Elaine Cutis, o momento foi de muito aprendizado. “Contamos com palestrantes excelentes e grande envolvimento da nossa delegação. A participação de representantes de outros países contribuiu para a troca de experiências e planejamento de estratégias com o objetivo de romper barreiras e atuarmos de forma conjunta em toda a América Latina”, disse.

Com palestrantes renomados, como Moisés Marques, Dora Incontri, Denise Motta Dau, Lucas Bulgarelli, dentre outros, os participantes puderam se aprofundar nos debates sobre as mudanças políticas e tecnológicas, desigualdades sociais, preconceitos e conservadorismo em meio a um contexto político de crise, aprofundamento das desigualdades sociais no Brasil e avanço do neoliberalismo nas Américas.

O destaque este ano se deu com a participação das redes Argentina e Uruguai, que além da troca política da conjuntura de seus países, socializaram com os presentes a importância do programa de formação de tutorias, ministrado pela rede Uni Américas.

Uma atividade lúdica marcou o final do dia 3 de junho, data esta que marca o movimento Nem Uma a Menos, iniciado em 2016, na qual, na mesma data,  ocorreu o assassinato de Chiara Páes, de 14 anos, grávida, e outras 4 mulheres, incluindo Lúcia Pérez, de 16 anos, que foi drogada, estuprada e empalada na Cidade Costeira de Mar del Plata em um dos feminicídios mais brutais já registrados na Argentina. O protesto chamou a atenção da população para este grave problema enfrentado pelas mulheres no mundo.

Campanha de Combate à violência contra a mulher

Um dos principais encaminhamentos da 9º oficina da Rede Uni Américas Mulheres é ressaltar a importância do combate à violência contra a mulher.  As mulheres decidiram criar uma campanha na rede social, Twitter, com o uso da hashtag #UniSororidad, que será utilizada todos os dias 25 de cada mês com o objetivo de sensibilizar a sociedade contra os feminicídios.

Para Elaine Cutis, o encontro foi um sucesso e definiu estratégias para todo o ano. “O encontro nos permitiu entender e avaliar os avanços de cada país em suas leis e seguir em busca de mudanças, avanços no Brasil e observar que os problemas enfrentados pelas mulheres são similares em todo o mundo”, finalizou Elaine Cutis.  

A Contraf-CUT orienta que todos os participantes se reúnam para compartilhar os encaminhamentos com a direção de suas entidades e alinhem ações para defender o que foi proposto.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram