Manifestação em Maceió (Al) alerta população para risco de privatização dos bancos públicos

Uma grande mobilização nas agências da Caixa, Banco do Brasil e Banco do Nordeste, no bairro do Farol, marcou nesta quinta-feira (6) o Dia Nacional de Luta em Defesa dos Públicos. Desde o início da manhã, o Sindicato realizou protestos dentro e fora das unidades, conclamando a população para resistir às investidas privatistas do próximo governo, que quer enfraquecer, fatiar, reduzir e privatizar os bancos públicos.

O Dia de Luta em Alagoas contou a adesão de outras categorias, a exemplo dos urbanitários e petroleiros, que também lutam contra a privatização da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e da Petrobras. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) manifestou, igualmente, sua solidariedade ao movimento, colocando-se na linha de frente para o enfrentamento ao governo entreguista.

“O dia de luta dos bancários se transformou em um dia de luta de todos os trabalhadores, e um dia de alerta para a sociedade, porque são muitas as ameaças já feitas pelo futuro governo contra os direitos, a democracia, o patrimônio público, o meio ambiente e as conquistas sociais”, disse o presidente do Sindicato, Márcio dos Anjos. “Nesse sentido”, acrescentou, “é preciso que o povo brasileiro constitua um forte movimento em defesa não só das empresas públicas, mas da nação”.

Com o enfraquecimento e a privatização dos bancos públicos, programas governamentais importantes, como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida, o Fies, o ProUni e a concessão de crédito para a agricultura, correm o risco de deixar de existir. A gestão de fundos importantes, como o FGTS e o FAT, será transferida para os bancos privados, que não se importam com habitação, seguro-desemprego e outras ações sociais e trabalhistas, mas somente com o lucro. Os serviços bancários à população pobre também estarão sob enorme risco.

Todas essas consequências foram informadas à população durante a manifestação desta quinta-feira, seja aos clientes e usuários, que adentravam e saiam das agências, seja às pessoas que trafegavam próximo, na movimentada Avenida Fernandes Lima. Com faixas, cartazes e carro de som, diretores do Sindicato se revezaram nos pronunciamentos.

O Dia Nacional de Luta em Defesa dos Bancos Públicos, convocado pelo Comando Nacional dos Bancários e a Contraf-CUT, foi precedido em Alagoas por manifestações na terça e quarta-feira (4 e 5), quando foram visitadas agências em Arapiraca e Maceió (Centro, Serraria, Tabuleiro e Orla Marítima). O objetivo foi mobilizar os funcionários dos três bancos, intensificando o engajamento deles no movimento de resistência.

O Sindicato conclama os funcionários da Caixa, BB e BNB a continuarem mobilizados e alertas, prontos para reiniciar as manifestações a qualquer momento. A partir de 1º de janeiro, quando toma posse o novo governo, as ameaças e ataques tendem a se aprofundar, o que exigirá imediata reação de todos.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram