Lucro do BNB cresce 135,6% e ultrapassa R$ 1,7 bilhão

Banco do Nordeste

O Lucro Líquido do Bando do Nordeste do Brasil em 2019 foi de R$ 1,737 bilhão em 2019, crescimento de 135,6% em relação a 2018. É o maior resultado da história da instituição.

De acordo com a análise do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) sobre o relatório do banco, o resultado se deve ao crescimento da margem financeira de operações de crédito da carteira própria; à elevação de R$ 234,8 milhões nas receitas de financiamentos de longo prazo com recursos do FNE (R$ 1.550 milhões em 2019 contra R$ 1.315,2 milhões em 2018), em decorrência da elevação dos níveis de desembolsos; e ao crescimento das Receitas de Prestação de Serviços, além de outros fatores não recorrentes, como a constituição líquida de créditos tributários, no montante de R$ 167 milhões. A rentabilidade (retorno sobre o Patrimônio Líquido) chegou a 36% ao ano, com alta de 17 pontos percentuais, em relação ao ano anterior.

A Carteira de Crédito, considerando-se a carteira do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que é administrada pelo banco, atingiu a cifra de R$ 66,6 bilhões, com crescimento de 15,9% em doze meses. As taxas de inadimplência do período, ficaram em 1,41% referentes a carteira CrediAmigo, praticamente estável em relação a dezembro de 2018. As despesas com Provisão de Devedores Duvidosos (PDD) foram reduzidas em 13,7%, totalizando R$ 398 milhões.

Tarifas, empregos e agências

Com crescimento de 7,4% em doze meses, as receitas de prestação de serviços e rendas de tarifas bancárias totalizaram R$ 2,7 bilhões. Já as despesas de pessoal permaneceram praticamente estáveis no período, em R$ 2 bilhões. Esses resultados impactaram no aumento da relação entre ambas e a cobertura das despesas de pessoal por essas receitas secundárias do banco ficou em 136,2%.

Durante o ano de 2019, foram fechados 203 novos postos de trabalho, e o banco encerrou o ano com 6.802 funcionários em seu quadro funcional. O número de agências permaneceu o mesmo, totalizando 292 agências, porém, foram abertas 9 novas unidades de microcrédito rural e urbano.

Veja abaixo a tabela com o resumo da análise feita pelo Dieese ou, se preferir, leia a íntegra do documento produzido pelo Dieese.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram