“Funk dos bancários” conscientiza e pede apoio da população para a greve no Ceará

Ao som do funk  “o Santander pensa que me engana; o Itaú pensa que me enrola; Bradesco pensa que me engana”, a categoria bancária no Ceará, em greve há 17 dias, mostra de forma clara para a população, e conclama os bancários a aderirem ao movimento, que enquanto os bancos mantiverem a proposta rebaixada, a categoria responde com mais greve. Os bancos, apesar do lucro de R$ 30 bilhões em seis meses, desde o último dia 15 não apresentaram nenhuma outra proposta para a categoria bancária, nem para recompor o poder de compra.A inflação de um ano foi 9,57% e os bancos querem dá apenas 7%, bem abaixo da inflação do período.

Em todo o Estado, a paralisação continua forte e segue com 75% de adesão e 425 agências fechadas, das 562 existentes. “A palavra de ordem é Resistência. Vamos resistir e intensificar a greve até que os banqueiros nos apresentem proposta decente. Só vamos conquistar avanços no nosso contrato de trabalho se estivermos firmes na luta, pois só a luta nos garante”, disse o diretor do Sindicato, José Eduardo Marinho.

“Não tem crise para os bancos e eles querem reduzir os direitos de uma categoria organizada. Nossa resposta é a greve, que está no 17º dia. Há duas semanas que o recado para os bancos é quanto mais insistirem em provocar, em ameaçar a categoria bancária, para reduzir seus direitos, a resposta vai ser mais greve. Temos a clareza que os bancários estão fazendo a maior greve dos últimos 25 anos.  A greve começou com 7 mil agências paradas em todo o País, hoje atingimos mais de 13 mil agências paralisadas. O setor financeiro precisa apresentar uma proposta para dialogar e reconhecer  nossa categoria. É muita irresponsabilidade ter um lucro de R$ 30 bilhões e sentar numa mesa de negociação sem discutir nem a inflação com os bancários”, anunciou Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato e membro do Comando Nacional dos Bancários.

“O que está acontecendo com os bancários é um total descaso dos banqueiros. Nós pedimos à sociedade seu apoio e solidariedade, pois as pessoas precisam saber que lutamos também pelo bom atendimento aos clientes, obrigados a passar horas na fila, ou  quando não, eles são mandados para as lotéricas e correspondentes bancários. Os bancos Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa, lucraram R$ 30 bilhões só no 1º semestre e não reconhecem o esforço dos bancários na composição desse lucro”, denunciou Marcos Saraiva, diretor do Sindicato.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram