Falta de diálogo marca prestação de contas da Cabesp

A Assembleia Ordinária da Cabesp, realizada no sábado (29), no Esporte Clube Banespa, foi, mais uma vez, marcada pela a falta de diálogo. A assembleia ordinária é realizada anualmente para aprovação das contas do ano anterior.

O presidente da mesa e da Caixa Beneficente dos Funcionários do Banco do Estado de São Paulo (Cabesp), Eduardo Prupest, se recusou a abrir o debate e a franquear a palavra para os questionamentos dos representantes antes de instalar o processo de votação e, mais uma vez, identificou os votos com os nomes dos associados. "A assembleia, que tinha tudo para ser tranquila, ganhou ares de arrogância. Prupest fez terrorismo quanto aos números, afirmando que em breve o custeio terá de ser revisado", afirmou Camilo Fernandes, presidente da Associação dos Funcionários do Grupo Santander Banespa (Afubesp).

Além disso, a Cabesp descumpriu novamente o Estatuto, que em seu artigo 31º prevê que a convocação da assembleia se dará por meio de carta circular expedida pelo presidente aos associados com antecedência de trinta dias – o que não ocorreu. Em função dessas práticas, os dirigentes da Afubesp estão tomando as medidas cabíveis para coibir esses desmandos.

Para o diretor Wagner Cabanal, a postura demonstra receio em ouvir os associados. "Eles têm medo do debate, de que as pessoas apareçam de fato na assembleia e questionem seu procedimento", disse.

Foram registrados 936 votos, entre associados presentes e representados com procurações, num universo de quase 22 mil associados. O balanço de contas mostrou solidez: R$ 7.495.200, sendo deste total, 92,4% aplicado em títulos públicos e 7,6% em títulos privados. Apresentando um patrimônio invejável e bem cuidado, a questão delicada é a tentativa de ferir a democracia na assembleia.

Prupest exonerado da Cabesp
Na tarde da terça-feira (2), os dirigentes da Afubesp foram informados da exoneração de Eduardo Prupest da presidência da Cabesp. Com isso, assume o posto interinamente o atual diretor de operações, Jorge Lawand. "Esperamos que o próximo presidente, além de cumprir o Estatuto, adote uma postura mais flexível e mantenha diálogo com os representantes dos associados. Acima de tudo, que traga tranquilidade aos beneficiários", deseja Camilo Fernandes.

Na avaliação da Afubesp, este é o momento de adotar novas ideias e reforçar a necessidade de trazer os trabalhadores do Santander para a Cabesp em plano segregado – fortalecendo a Caixa e mais segurança aos bancários. Além de atrair mais atenção à Cabesp, segundo o dirigente, seria uma alternativa à migração problemática de planos de saúde, como o que ocorre atualmente com a SulAmérica Saúde.

Mais informações no site da Afubesp.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram