Destruição e roubo de agências por bandidos expõem a falta de segurança nos bancos

Na madrugada da última terça-feira (4), bandidos destruíram duas agências do Bradesco. No Centro do Rio, assaltantes explodiram a unidade da Marechal Floriano, por volta das 3 horas, destruindo as portas do banco. Sindicalistas impediram o funcionamento da unidade na quarta-feira (5), por falta de equipamentos de segurança. Em Guadalupe, na Zona Norte da cidade, criminosos teriam usado uma picape para invadir a agência da Estrada do Camboatá e chegar ao segundo andar, onde teriam roubado dinheiro do cofre da tesouraria. Até o fechamento desta edição, o Bradesco ainda não havia informado os valores roubados.

Apesar das ações terem sido de madrugada e não afetarem diretamente nenhum bancário, os funcionários, especialmente os que trabalham em área de risco, como Guadalupe, estão aflitos e apreensivos. Não é de hoje que o Sindicato do Rio denuncia a falta de equipamentos de segurança nos bancos.

“Muitos funcionários estão psicologicamente abalados, especialmente os que trabalham em áreas de risco. Alguns nos relataram que têm medo de ir trabalhar e não voltar para a casa. O Bradesco fatura bilhões todo ano, mas não investe o suficiente em segurança. A situação se agrava ainda mais em função da crise moral e econômica do governo do Estado”, criticou o diretor do Sindicato, Marcelo Pereira, que foi às agências para averiguar a situação nas unidades e ouvir os funcionários. Os dirigentes Ronaldo Fernandes, Nilo Casanova e Anderson Peçanha também foram as unidades.

O Bradesco lucrou R$17 bilhões em 2016, mas continua devendo quando o assunto é segurança, colocando em risco a vida de empregados e clientes, e não possui nenhuma responsabilidade social. 

“O banco não contribui em nada para com a sociedade, apesar de acumular rios de dinheiro. Não oferece segurança, fecha agências e demite trabalhadores, prejudicando a população e ainda dá calote em torno de R$416 milhões na Previdência, agravando a crise do INSS, o que compromete as aposentadorias dos brasileiros”, lembrou Marcelo.

Assalto também no Santander – Na agência do Santander, na Av. Nossa Senhora de Copacabana, 599, os sindicalistas ouviram os relatos sobre o roubo realizado na madrugada de domingo (2) para segunda-feira. Os assaltantes retiraram o miolo da fechadura da porta da unidade, entraram na sala do cofre, que arrombaram mediante o uso de algum esmeril, e levaram todo o dinheiro. A polícia civil trabalha com uma linha de investigação que leva a uma quadrilha do Rio Grande do Sul.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram