CUT cria coletivo de advogados para enfrentar ataques do governo Bolsonaro

Grupo conta com mil juristas de 325 sindicatos de São Paulo. Mobilização visa a impedir retirada de direitos trabalhistas e criminalização dos movimentos sociais

Para defender de forma unitária os trabalhadores e os sindicatos contra os ataques promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro, advogados de entidades trabalhistas filiadas à CUT estão se organizando em um coletivo lançado nesta quinta-feira (18), em São Paulo. Motivados pela organização jurídica da classe, o grupo quer impedir a criminalização dos movimentos sociais e a retirada de direitos. Ao menos mil advogados, de 325 sindicatos no estado de São Paulo, devem integrar o coletivo.

Um dos coordenadores do grupo, Vinicius Cascone, advogado da CUT, explica ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT, que, desde o governo Temer o Brasil vivencia um cenário de mudanças marcado pelo desmonte da legislação protetiva dos trabalhadores. “Agora nós estamos assistindo o governo Bolsonaro governar por meio de medidas provisórias, muitas publicadas inclusive em Diários Oficiais extras”, descreve.

De acordo com os advogados, a ideia é que nesse primeiro momento a unidade permita a troca de experiências e informações para fortalecer as ações jurídicas e consolidar a luta política e as mobilizações. Dirigentes sindicais que participaram do lançamento comemoraram a iniciativa.

O presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo, afirma que Bolsonaro vem intensificando ataques principalmente contra autonomia e liberdade sindical. “A gente tem ouvido por interlocutores do próprio governo que ele (Bolsonaro) vai tentar fazer uma reforma sindical onde propõe a proliferação de sindicatos por empresa que é uma tentatva de desarticular as centrais e o movimento sindical”, alerta.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram