CUT abre programação do Mês da Consciência Negra

Frente a um dos maiores retrocessos do país, a CUT (Central Única dos Trabalhadores) vai discutir neste mês de novembro, data em que se celebra a Consciência Negra, o atraso brutal nas políticas de combate ao racismo e como atravessar este momento de golpe que atinge principalmente a população negra.

A atividade começa com um ato ecumênico pelo fim da intolerância religiosa, no próximo dia 8, às 14h, na sede da Central, e vai reunir militantes da luta antirracista que discutirão temas como racismo estrutural – além de reunir exposições culturais e o relançamento da Campanha Basta de Racismo no Trabalho e na Vida.

O Dia da Consciência Negra lembra a data da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, perseguido e morto em 20 de novembro de 1695. A data foi incluída no calendário escolar nacional em 2003. Em 2011, a Lei 12.519 instituiu oficialmente a data como o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Entretanto, a data de 20 de novembro é feriado em algumas cidades brasileiras.

No país em que a escravidão se perpetuou por mais de 300 anos, se naturalizou, infelizmente, os discursos opressivos contra a população negra.

Para Júlia Nogueira, secretária nacional de Combate ao Racismo CUT, “precisamos criar formas de lutar contra o racismo e contra o genocídio de jovens negros”.

“Fechar os olhos para este problema é deixar mais de 50% da população brasileira sem respostas para enfrentar os retrocessos que estamos vivendo”, ressalta a dirigente.

O evento é organizado pelas secretarias Nacional de Combate ao Racismo e de Cultura da CUT.

Veja programação:

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram