Contraf-CUT debate desigualdades raciais em Petrópolis

Números do setor bancário são preocupantes

A secretaria de Combate ao Racismo da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) esteve presente, na segunda-feira (18), no Sindicato dos Bancários de Petrópolis, Rio de Janeiro, para debater com dirigentes bancários e de outras categorias, o tema “Desigualdades Raciais no Mundo do Trabalho”.

Na ocasião, Almir Aguiar, secretário de Combate ao Racismo da Contraf-CUT, lembrou que as desigualdades, que atingem a população negra, são resquícios da escravidão que perdurou por mais de 300 anos no Brasil.  

No setor bancário, por exemplo, os números são preocupantes. O Censo da Diversidade de 2014, mapeou 24,7% de negros na categoria. “Os negros são invisíveis nos cargos de direção, exercendo apenas funções de produção. A cor da pele é um impeditivo para ascensão profissional, e os negros recebem em média 68% da remuneração de um trabalhador não negro, sendo que a situação da bancária negra, é ainda pior”, afirmou o secretário de Combate ao Racismo da Contraf-CUT.

Para Almir Aguiar, a discussão sobre o tema é de extrema importância, diante da conjuntura atual. “Agradeço o convite a direção do Sindicato dos Bancários de Petrópolis, em especial aos companheiros Marcos Alvarenga e Iomar, por entender a importância do tema, diante da conjuntura que vivemos, mas este tema precisa estar na pauta dioturnamente. Basta de racismo no trabalho e na vida”, finalizou o dirigente sindical.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram