Sindicato do Ceará protesta contra onda de descomissionamentos no BB

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou um protesto, dia 14/2, na agência do Banco do Brasil do Campus do Pici/UFC, contra os descomissionamentos. O ato fez parte de um Dia Nacional de Luta que contou com diversas atividades semelhantes em todo o País.

Nos últimos dias uma nova onda de descomissionamentos no Banco do Brasil fez novas vítimas com a perda do cargo e redução de salário via Gestão de Desenvolvimento por Competências (GDP). Isso porque, o novo modelo de gerenciamento dos escritórios, com as Superintendências Centralizadoras, tem feito à distância uma maior pressão sobre os administradores para descomissionar mesmo sem observar os critérios históricos. O BB não vem adotando mais os critérios de avaliação em 360º conforme propagado. Agora, para retirar o cargo dos funcionários, basta uma nota abaixo da média vinda do superior que o banco entende que pode efetivar o descomissionamento.

 “Os descomissionamentos vem acontecendo mais uma vez de forma arbitrária, pois uma ferramenta que deveria ser usada com o viés de aprimoramento e proteção está sendo utilizada como forma de punição e nós cobraremos explicações quanto a isso”, disse o diretor José Eduardo Marinho, durante a atividade em Fortaleza. Ele completa afirmando que “os colegas têm de estar atentos a tudo, pois, diante do cenário privatista que se apresenta no governo federal, muitas notícias ruins vão vir para as empresas públicas e o BB está no meio desse furação”, alerta.

O diretor Valdir Maciel aconselhou os bancários a tomarem nota de tudo. “O que você fizer, que achar relevante, também pode ser registrado por você. Então, anote tudo pois o que vale é o que está no sistema e você vai poder reclamar se for prejudicado. E saibam que vocês podem contar com o Sindicato em qualquer ocasião”, disse.

 “O Sindicato está sempre na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores e estamos à disposição de todos os bancários sempre que houver qualquer irregularidade. Além do mais, temos de ser solidários com cada colega, porque o que acontece hoje com um pode vir a acontecer com você depois. Temos de manter forte nosso espírito de equipe, estarmos sempre juntos, unidos e precisando, o Sindicato estará sempre à frente para defender o direito de todos”, finalizou Bosco Mota, diretor do Sindicato e funcionário do BB.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram