Caravana Bancária do Seeb PA continua ciclo de visitas em bancos públicos e privados

No mês de janeiro, das férias escolares, o Sindicato dos Bancários também viaja. A diretoria da entidade planejou todo um roteiro de Caravanas Bancárias pelo Pará, começando pelas cidades mais próximas de Belém.

Na quarta-feira (23), os dirigentes sindicais Érica Fabíola e José Maria (Banpará), e Ronaldo Fernandes e Suzana Gaia (Banco da Amazônia) desembarcaram em Santo Antonio do Tauá, Vigia e São Caetano de Odivelas.

Já na quinta (24), foi o dia de o presidente da entidade, Gilmar Santos (BB), a vice, Tatiana Oliveira (Caixa), acompanhados dos diretores Sandro Mattos (Itaú), Vera Paoloni (Banpará) e Eliana Lima (Bradesco) partirem rumo à Barcarena para visitar todos as bancárias e bancários de bancos públicos e privados no próprio local de trabalho.

“Essa é a oportunidade que temos de estarmos perto dos nossos colegas, vendo de perto o que é o dia-a-dia deles no local de trabalho, poder ouvi-los, orientá-los e encaminhar as demandas que surgirem. Na oportunidade também entregamos o calendário de mesa desse ano, atualizamos o cadastro de quem já é sindicalizado e conquistamos novos associados, que irão fortalecer ainda mais a nossa luta por melhor salários e condições de trabalho”, destaca Gilmar Santos.

Por falar em condições de trabalho, o prédio da agência do Banpará em Vigia ficou pequeno para a quantidade de demanda, clientes e usuários, além disso, a unidade fica ao lado de um casarão desocupado, o que causa preocupação com um possível desabamento. A gerência já solicitou ao banco mudança de endereço.

No Bradesco, os dirigentes não encontraram porta giratória com detector de metais e segundo o banco, não há lei municipal que obrigue a instalação do dispositivo, e pela lei federal, a unidade contempla os 3 itens indispensáveis de acordo com a legislação.

O Sindicato contesta a justificativa já que existe uma lei estadual 7013/ 17 que torna o dispositivo obrigatório em todos os bancos do estado. Diante disso, a entidade irá notificar o banco solicitando a instalação do equipamento.

Em São Caetano, houve relatos de arbitrariedade na reclassificação das agências, com arredondamento para menor, o que teria prejudicoado algumas unidades. A denúncia será repassada ao setor responsável de cada banco.

Já em Santo Antonio do Tauá, nenhum problema grave detectado. A cidade ganhou mais serviços bancários do Banpará, que antes era apenas Posto de Atendimento Bancário, onde nem todo tipo de atendimento pode ser feito.

Em Barcarena, o rebaixamento de nível da agência Barcarena Velha do Banpará impactou na remuneração de parte funcionalismo, já que a maioria dos clientes migrou para outra unidade do mesmo banco.

No BB, o Sindicato identificou que a agência Barcarena, em Vila dos Cabanos, necessita, em caráter de urgência, de uma reforma para ampliação do espaço ou relocalização para outro prédio maior. De acordo com a entidade, a sala de suporte está cheia de armários de aço, utilizados para o arquivamento de documentos, que prejudicam a mobilidade das trabalhadoras e trabalhadores, além de representar total falta de condições ideias de trabalho.

Já no Itaú, todos os bancários e bancárias fazem parte da entidade que os representa.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram