Campo Grande/MS: Sindicato protesta contra Reforma da Previdência

Nesta segunda-feira (19) trabalhadores de todo país foram para as ruas protestar contra a Reforma da Previdência. O Sindicato dos Bancários de Campo Grande (MS) Região percorreu as agências bancárias da capital sul-mato-grossense para alertar a categoria sobre a importância de barrar, mais uma vez, a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287-A).

“Fizemos um movimento percorrendo as unidades bancárias para continuar com a mobilização contra a reforma da previdência. Parece que o governo não está tendo quórum para colocar a reforma em votação, mas a mobilização da categoria tem que continuar. O nosso papel é alertar e conscientizar os trabalhadores sobre os prejuízos que terão caso a proposta de reforma seja aprovada. Vamos continuar na luta e nos mobilizando em prol dos trabalhadores”, alertou o presidente do Seeb-CG, Edvaldo Barros.

No período da tarde, os dirigentes sindicais percorrerão agências bancárias que estão distantes do centro de Campo Grande. Um material informativo sobre os impactos da reforma está sendo entregue aos bancários e aos clientes.

Apesar das alterações apresentadas pelo relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), no dia 7 de fevereiro, a reforma prevê aumento da idade mínima de concessão da aposentadoria: 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. Além disso, será necessário contribuir por 40 anos para se aposentar com 100% do salário. A base aliada precisa garantir 308 votos para aprovar a PEC na Câmara dos Deputados.

Pressão
As entidades sindicais também convocam os trabalhadores para pressionar as bancadas federais dos seus estados. Em Mato Grosso do Sul, 5 deputados federais e 3 senadores já votaram contra a classe trabalhadora, aprovando a reforma trabalhista e a terceirização irrestrita. 

A orientação é para que os trabalhadores enviem e-mail para os parlamentares cobrando um posicionamento contrário à reforma da previdência, caso contrário, poderão perder votos nas eleições deste ano.

Confira o endereço de e-mail dos parlamentares de Mato Grosso do Sul que votaram contra a classe trabalhadora:
Senador Waldemir Moka – PMDB: [email protected]
Senadora Simone Tebet – PMDB: [email protected]
Senador Pedro Chaves – PSC: [email protected]
Deputado Elizeu Dionísio – PSDB: [email protected]
Deputada Tereza Cristina – PSB: [email protected]
Deputado Geraldo Resende – PSDB [email protected]
Deputado Henrique Mandetta – DEM: [email protected]
Deputado Licenciado Carlos Marun – PMDB: [email protected]

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram