Campanha contra a privatização da Caixa mobiliza bancários em Salvador

O lançamento da campanha #ACAIXAÉTODASUA chega na capital baiana e recebe apoio de funcionários, associações e sindicatos

O Comitê Nacional em Defesa da Caixa lançou a campanha #ACAIXAÉTODASUA em Salvador (BA), nesta terça-feira (17). O evento, que alertou para os riscos e consequências da privatização da Caixa, ocorreu no Edifício 2 de julho, na Av. Luiz Viana.

Sérgio Takemoto, secretário de Finanças da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e vice-presidente da Federação Nacional das Associações de Pessoal da Caixa (Fenae), destacou que a Caixa é fundamental no desenvolvimento do país, citando programa o Minha Casa, Minha Vida. “Este ano o governo não financiou nenhuma unidade do programa. Isso é ataque ao direito da sociedade de ter moradia digna”, afirmou, lembrando que, até 2016, o programa foi responsável por cerca 247 mil habitações na Bahia.

Presidente da Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal na Bahia (Apcef-BA), Daniel Azeredo chamou atenção para o fato de a população ainda não ter se dado conta das reais ameaças que estão sofrendo, caso não se unam para defender seus interesses. “Associações, sindicatos, confederações e federações, todos aqueles que fazem parte da Caixa podem contribuir para impedir que a empresa deixe de ser do povo”.

Funcionário da Caixa há 15 anos, o presidente do Sindicato dos Bancários, Augusto Vasconcelos, foi enfático quanto aos riscos de a Caixa ser privatizada sem uma mobilização da sociedade. “Precisamos falar com a sociedade, explicar a importância da Caixa, pois os brasileiros ainda estão contaminados com a visão de que empresa pública é corrupção e ineficiência. Isso não é verdade”.

O presidente eleito para a próxima gestão na Apcef-BA, John Ralph, destacou as transformações que o bando sofrerá, se passar para as mãos do mercado. “A Caixa pode ser vendida e passar a ser do empresariado, dos ricos, deixar de ter a conotação de empresa pública e deixar de trabalhar pelos menos favorecidos”, desabafou.

José Bonifácio Silveira Gomes, presidente da Associação dos Economiários Aposentados e Pensionistas da Bahia (AEABA), argumentou: “Nós precisamos estar juntos para o movimento de fortalecimento da Caixa”.  Já Emmanuel de Souza, da Federação dos Bancários da Bahia e de Sergipe (FEEB-BA/SE), salientou: “temos a compreensão clara da importância de a Caixa ser 100% pública, um instrumento para o desenvolvimento econômico e social do Brasil e, por isso, lutamos em sua defesa”.

O vice-presidentes da Associação dos Gestores da Caixa (Agecef-BA) e da Federação Nacional dos Gestores da Caixa (Fenag), Antônio Messias Bastos, frisou que defender a Caixa é defender o povo brasileiro. “Defender a caixa é defender o Brasil, é defender a distribuição de renda. É defender as políticas sociais”.

Também estavam presentes ao lançamento outras entidades que compõem o Comitê Nacional em Defesa da Caixa, como a Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas (Fenacef-BA), e Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa Econômica Federal.

Fonte: Fenae

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram