Caixa quer vincular valor da PLR a cursos da “Universidade Caixa”

A diretoria da Caixa Econômica Federal (CEF) pretende vincular o valor da PLR à participação dos empregados nos 19 cursos intranet da chamada “Universidade Caixa”. Segundo o projeto em análise, os cursos – obrigatórios – teriam de ser acessados durante 30 minutos, durante a jornada diária, traduzindo-se numa verdadeira armadilha para reduzir o valor da PLR já que a maioria dos funcionários estão sobrecarregados de trabalho e não teriam meia hora, nem menos que isto, para acessar os cursos.

Documento interno obtido pelo Sindicato dos Bancários do Rio deixa clara esta intenção no item 1.1: “A trilha básica é composta por 19 cursos e a partir deste exercício de 2008 passa a pontuar as unidades no AV Gestão (avaliação de gestão), sendo, portanto, balisador para a definição da PLR”. Em outro ponto, informa sobre o tempo a ser gasto: “Para a realização dos blocos (de estudo) sugerimos o investimento diário de 30 minutos de nossa jornada de trabalho, visando o nosso desenvolvimento”.

Sindicato cobra fim da vinculação

O Sindicato vai cobrar da Caixa a não adoção da medida. “Esta iniciativa em estudo é um desrespeito, um retrocesso. A diretoria da Caixa pretende acabar com a linearidade da PLR, que é uma reivindicação antiga do funcionalismo, da qual chegamos muito perto no último acordo coletivo”, denunciou o diretor do Sindicato Ricardo Aranha. Também diretor da entidade, Paulo Matileti classificou o documento como uma punição para a maioria dos empregados. “Os caixas não têm tempo sequer para a pausa de 10 minutos preventiva das LER. Como vão arranjar tempo para estudar durante meia hora, enquanto atendem a clientela? É uma brincadeira de mau gosto! Desta forma, teremos mais empregados doentes e sem PLR decente”, desabafou.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram