Banespianos de Bragança Paulista (SP) debatem proposta de equacionamento da Cabesp

No último dia 25, o Sindicato promoveu, em seu auditório, reunião entre participantes da Cabesp, para apresentar e esclarecer dúvidas referentes às proposta para o equacionamento do déficit operacional da caixa beneficente. A discussão e votação em assembleia extraordinária prevista para o dia 30 de junho.

No encontro, Vagner Cabanal, diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo e ex-diretor administrativo da Cabesp eleito pelos associados, explicou os pontos que o banco tentou implantar unilateralmente e a proposta negociada.

O déficit
O déficit operacional, apontado por estudo atuarial, vem ocorrendo sistematicamente há anos. Só em 2016 o valor foi de R$ 437,6 milhões.
Até algum tempo atrás, a rentabilidade das aplicações financeiras, que constituem o patrimônio da Cabesp eram suficientes. Mas a acentuada queda nos juros derrubou a rentabilidade. Outro fator que pesa no aumento severo do déficit é o envelhecimento da massa segurada. Lembrando ainda que o plano está fechado. Ou seja, não entram novos contribuintes há mais de uma década.

Além disso, há a questão do índice de Variação de Custo Médico-Hospitalar (VCMH), conhecido como inflação médica, que capta oscilações, tanto da frequência de utilização quanto do preço médico, dos serviços de assistência à saúde. Em dezembro de 2015, o custo médico hospitalar bateu recorde, chegando a 19,3%, quase o dobro do IPCA, que ficou em 10,6%.

O que o banco queria:
*Elevar o teto da coparticipação de R$ 125 para R$ 270;
*Individualizar a cobrança por pessoa e não mais por grupo familiar;
*Instituir uma franquia nos casos de internação;
*Aumentar o número de procedimentos e especialidades que teriam pagamento de coparticipação.

Proposta negociada:
*Elevar a mensalidade de forma escalonada na mesma proporção para associados e Santander: 4% em 2018, 5% em 2019 e 6% no ano de 2020;
*Manter a coparticipação como é hoje;
*Avaliação dos impactos anualmente, ocasião em que serão novamente discutidos os assuntos relacionados à coparticipação;
*Qualquer alteração será sempre deliberada em Assembleia Geral Extraordinária.
*Plenária reúne banespianos para debater proposta de equacionamento da Cabesp

"A reunião contou com a participação de muitos colegas aposentados da região, que puderam entender um pouco mais sobre a dinâmica do debate que o banco está fomentando em cima desta questão. É importante que todo banespiano aposentado converse com um colega que não veio ao encontro e diga para ele entrar em contato com o Sindicato, para garantir a participação na assembleia de 30 de junho", alerta Fernando Antônio Baisetto Jr., diretor do Sindicato e associado à Cabesp.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram