Bancários do Bradesco e Itaú paralisam atendimento em Feira de Santana

Os Bancários de Feira de Santana retardaram a abertura nas principais agências do Bradesco e Itaú, situadas na Rua Conselheiro Franco, no centro financeiro da cidade, contra o descaso e a falta de respeito pelas propostas indecentes apresentadas pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na mesa de negociação na rodada de ontem (21) a tarde. Devido ao total descaso apresentado a mesma foi suspensa e será retomada nesta quinta (23) a partir das 10h.

Para a presidenta da A Fenaban está demonstrando cada vez mais a sua falta de preocupação com os seus funcionários, onde em uma de suas propostas apresentada, foi de retirar a Participação nos Lucros e resultados de mulheres grávidas, bem como, dos funcionários que se encontram afastados de suas atividades laborativas, além de tentar terceirizar e retirar direitos da categoria. Um total absurdo!

“Os bancos estão demonstrando a cada rodada que não estão dando a menor importância à categoria. Estão se portando como verdadeiros leões famintos a procura de alimento, visando retirar os direitos conquistados em anos de luta, uma total falta de respeito. Enquanto isso os lucros dos bancos só aumentam! A categoria tem de se mobilizar e não deixar que seus direitos sejam dizimados um a um. Queremos uma proposta decende!”, exclama indignada Sandra Freitas, presidenta do Sindicato.

Veja mais sobre a proposta dos bancos
– Retirada do salário substituto (cláusula 5ª);
– Fim da PLR integral para bancárias em licença-maternidade e afastados por acidente ou doença (esses trabalhadores receberiam PLR proporcional ao período trabalhado);
– Querem compensar, caso percam na Justiça, as horas extras pagas como gratificação de função conforme a cláusula 11ª da CCT. Esse item não vale para os bancos públicos, que têm Plano de Cargos e Salários (PCS). A proposta foi rejeitada e o Comando quer negociar PCS para todos;
– Alteração da cláusula do vale-transporte, rejeitada porque ficaria pior do que a lei (cláusula 21ª);
– Fim da cláusula que proíbe a divulgação de ranking individual (cláusula 37ª);
– Retirada da cláusula que previa adicional de insalubridade e periculosidade porque está na lei (cláusula 10ª);
– Querem flexibilizar o horário de almoço de 15 minutos para 30 minutos na jornada de seis horas (exceto para teleatendimento e telemarketing);
– Fim do vale-cultura (cláusula 69). Comando quer que permaneça para que o direito esteja garantido caso do governo retome o programa;
– Retirada da cláusula que garantia a homologação de rescisão contratual nos sindicatos.

Avanços
– Garante o parcelamento do adiantamento de férias em três vezes, a pedido do empregado;
– Mantido o direito do hipersuficiente à CCT (quem ganha mais de R$ 11.291,60);
– Mantido o direito ao adiantamento emergencial para quem tem recurso ao INSS por 90 dias. Os bancários querem 120 dias.

“Esperamos que os banqueiros, quem mais lucra nesse país, retomem a negociação nesta quinta (24) com outra postura, respeitando os direitos dos trabalhadores e trazendo uma proposta que contemple, dentre outras coisas, aumento real para a categoria”, disse Sandra.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram