Bancários de Rondônia aprovam PCR e bolsas de estudo do Itaú

Em assembleia geral realizada na manhã de quinta-feira (20), no Centro de Porto Velho, os funcionários do Itaú aprovaram, por ampla maioria, o Programa Complementar de Resultados (PCR) referente aos exercícios de 2019 e 2020, com índice de reajuste de 9%. O valor do PCR de 2019 (que teve um aumento de 9% em relação ao valor pago este ano) será de R$ 2.900 para o próximo ano.

Os trabalhadores também aprovaram o bolsa auxílio-educação, com reajuste de 5% para o mesmo período. São 5.500 bolsas de estudo disponibilizadas para graduação, segunda graduação e pós-graduação.

Foi feita também, na assembleia, a implantação da Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) – formada por representantes do banco e do Sindicato dos Bancários de Rondônia – e que tem caráter extrajudicial, possibilitando ao trabalhador do Itaú buscar soluções para qualquer pendência (como horas extras, férias, equiparação salarial, entre outras) sem a necessidade de recorrer à Justiça. Quando há conciliação pela CCV, o pagamento acertado entre as partes é feito em até 10 dias úteis.

“Decidimos pontos essenciais à nossa carreira e para o nosso ambiente de trabalho. É muito importante que tenhamos, já assegurados, o PCR para dois anos consecutivos, pois isso dá maior tranqüilidade ao funcionário. E as bolsas de estudo permitem agora a segunda graduação e a pós-graduação, que antes não eram garantidas no auxílio. E para concluir, comemoramos a implantação da CCV, que antes não tínhamos no Itaú de Rondônia, e esse mecanismo é fundamental para que os empregados possam solucionar suas pendências sem precisar recorrer à justiça e, com isso, evitar soluções judiciais demoradas e que, muitas vezes, podem ser desfavoráveis aos trabalhadores, principalmente com a nova lei trabalhista”, afirmou José Toscano, diretor de Esportes do sindicato e funcionário do Itaú.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram