Bancários de Itapetinga – BA, doam cestas básicas à população carente

Ação será expandida para Vitória da Conquista, Brumado e Poções

A categoria bancária está enfrentando diariamente os riscos do coronavírus, na linha de frente para manter o atendimento à sociedade e fornecer os benefícios sociais tão importantes nesse momento de pandemia. Conscientes que a população carente está atravessando um período de grande dificuldade, bancárias e bancários das cidades que compõem a base do Sindicato de Itapetinga, na Bahia, iniciaram nesta semana uma ação solidária de entrega de cestas básicas e materiais de higiene.

A atividade teve início no domingo (17), em Itapetinga, com a entrega de 44 cestas para a Associação Nossa Senhora das Dores. Os mantimentos foram doados para famílias que são acompanhadas pela entidade nos bairros Nova Itapetinga e Moacir Moura. “Vivemos em um país onde 54% da população economicamente ativa é informal e apenas 6% possuem poupança. Num cenário de pandemia mundial, onde o isolamento social tem sido a medida mais eficaz no combate ao vírus, a retração econômica tem causado sérios danos, principalmente, aos mais pobres. Precisamos estar conscientes de que, quem tem um pouco mais, precisa ajudar, pois só conseguiremos vencer tudo isso juntos. Somos gratos por essa iniciativa e espero que ela seja copiada por outras entidades. Muitos estão sofrendo e precisamos ser solidários agora para que depois possamos reconstruir a economia e continuar sendo esse país forte e abençoado por Deus”, considerou Bruno Correia, bancário da Caixa Econômica Federal/Itapetinga e presidente da Associação.

Já na terça-feira (19), foram destinadas mais 44 cestas para a HUB Itapetinga, liderada pela Uesb.

Esta ação solidária é promovida pelo Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região que, após aprovação da categoria, destinou R$20.000 do valor orçado para eventos públicos para a compra de cestas básicas com alimentos e produtos de higiene. Os mantimentos também serão entregues em Conquista, Brumado e Poções. “Em um momento tão difícil como esse, em que a humanidade enfrenta uma doença devastadora, a solidariedade e cooperação são imprescindíveis para minimizar o sofrimento dos mais vulneráveis. Apesar de todos os outros desafios, a categoria está fazendo a sua parte e contribuindo para superação dessa conjuntura adversa”, considera Américo Carregosa, diretor do Sindicato.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram