Bancários de Feira de Santana (BA) retardam abertura de agências

Nesta sexta-feira (10/08), os bancários de Feira de Santana se mantiveram fora das agências retardando a abertura de todas as unidades da cidade, reivindicando uma proposta completa, que contemple garantia de emprego e melhores condições de trabalho, que estão em risco desde a aprovação da Reforma Trabalhista e da Terceirização.

A decisão foi tomada pela categoria na assembleia que aconteceu na quarta-feira (8), em repúdio a forma com que os banqueiros vêm tratando os trabalhadores na mesa de negociação, que, na 6ª rodada, apresentou proposta apenas de reposição da inflação, sem a garantia dos direitos adquiridos ao longo de anos e sem proteger a categoria contra a privatização.

Vale lembrar, que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) já marcou uma nova rodada de negociação para o dia 17 (próxima sexta-feira) e caso não apresentem propostas satisfatórias aos bancários, a categoria poderá deflagrar greve a partir de setembro.

“Com a Lei da Terceirização, os banqueiros querem substituir os bancários por terceirizados. Já tem bancos, como o Banco do Brasil, com agências com o quadro quase todo, excluindo apenas o Gerente Geral. O objetivo é substituir a categoria por terceirizados, além disso, criar aplicativos para fazer estes serviços. Todos os dias clientes reclamam nas filas, reclamam de agências que não tem pessoal para atendimento ao público, além de permanecerem horas e mais horas na espera, uma humilhação, ver clientes sentados no chão… É uma vergonha o que eles estão fazendo. Se não tiver nenhum tipo de avanço e se a Fenaban se mantiver com a intenção de retirar direitos, a categoria não irá aceitar e poderá realizar uma das maiores e mais fortes greves da categoria bancária”, alertou Sandra Freiras, presidenta do Sindicato dos Bancários de Feira de Santana.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram