Bancários da Bahia e Sergipe participam do Dia Nacional de Luta no Santander

Bancários da Bahia e Sergipe realizaram protestos e paralisações nas agências do Santander, nesta quarta-feira (20), contra as ações unilaterais do banco, como a mudança da data de pagamento de salários, imposição de negociação individual do Banco de Horas e demissões de lesionados. Foram fechadas as agências nas bases dos sindicatos de Sergipe, Bahia, Itabuna, Ilhéus, Vitória da Conquista, Feira de Santana, Juazeiro, Camaçari e Barreiras.

Nos últimos dias, o Santander vem implantando várias medidas sem discussão com os representantes dos trabalhadores. Vale lembrar que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários tem vigência até 31 de agosto de 2018, além disso há também um Acordo Aditivo com o banco.

Foram cerca de 200 funcionários demitidos, a maioria ocorreu no exame de retorno médico ou quando os trabalhadores ainda estavam em tratamento de saúde. Em relação ao Banco de Horas, sem consultar os dirigentes sindicais, o banco implantou um sistema para forçar os trabalhadores a assinarem um “Acordo Individual de Banco de Horas Semestral”.

E, como presente de Natal, mudou a data de pagamento dos salários, do dia 20 para o dia 30, e os meses de pagamento do 13º salário, antes março e novembro, agora passam a ser maio e dezembro. Tudo isto sem nenhuma negociação. Para completar, os trabalhadores também sofrem com os aumentos abusivos do plano de saúde, que tem causado dificuldades para bancarem os custos, e o Santander já informou que vai aplicar o parcelamento das férias.

É a implantação da Reforma Trabalhista do Governo Temer, feita de encomenda pelos patrões. Aos trabalhadores cabem lutar pelos seus direitos e conquistas e ampliar a mobilização.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram