1535 resultados Ver todos os resultados
1535 resultados Ver todos

Bancários arrancam proposta com conquistas

Imagem ilustrativa

Manutenção de direitos, aumento real no VA/VR e teto da PLR, além de inclusão de novas cláusulas sobre teletrabalho, combate ao assédio sexual e moral são algumas das conquistas da Campanha Nacional dos Bancários

Após dois meses e meio de duras negociações, o Comando Nacional dos Bancários arrancou da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) uma proposta para 2022 e 2023. Para este ano, a categoria terá reajuste de 8% nos salários, aumento de 10% nos vales alimentação (VA) e refeição (VR), além de um adicional de R$ 1.000,00 em vale alimentação, a ser creditado até outubro de 2022. A proposta também prevê reajuste de 13% para a parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) neste ano e, para 2023, aumento real de 0,5% (INPC + 0,5%) para salários, PLR, VA/VR e demais cláusulas econômicas.

Texto descritivo da imagem aqui

“Com o constante crescimento nos lucros dos bancos, o aumento do teto da parcela adicional da PLR possibilita maiores ganhos para os trabalhadores”, observou a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira.

A presidenta da Contraf-CUT também ressaltou a importância do acordo num momento de conjuntura adversa. “Temos um governo que promove e incentiva ataques aos trabalhadores, e ainda assim conseguimos que os bancos dessem aumento acima da inflação para os vales alimentação e refeição, um dos anseios que a categoria nos demonstrou na Consulta Nacional dos Bancários, mas também, pela primeira vez, conseguimos incluir uma cláusula que vai nos permitir acompanhar a cobranças de metas”, completou.

“As negociações foram muito duras. Os bancos nos deram muita canseira e tentaram nos impor perdas, mas conseguimos evitar que eles retirassem direitos da categoria e ainda conseguimos alguns ganhos, como a ajuda de custo para quem exerce suas funções remotamente, em teletrabalho”, afirmou a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região (Seeb/SP), também coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Ivone Silva, se referindo à ajuda de custo de teletrabalho de R$ 86,40 para quem exerça 100% de suas funções em home office, com reajuste garantido pelo INPC em 2023.

Texto descritivo da imagem aqui

Outros avanços

Teletrabalho
Além da ajuda de custo, os bancos concordaram com a reivindicação de controle de jornada para todos os trabalhadores; com o fornecimento e manutenção de equipamentos; com o direito à desconexão para que gestores não demandem os trabalhadores fora do horário de expediente; com a manutenção dos direitos da CCT aos trabalhadores que realizem suas funções fora das dependências do banco; com prevenção e precauções com a saúde dos trabalhadores; com a criação de canal específico para que os trabalhadores em teletrabalho tirem suas dúvidas.

Os trabalhadores com filhos de até quatro anos, ou com deficiência terão prioridade para o teletrabalho e as bancárias vítimas de violência doméstica poderão escolher se preferem trabalhar em domicílio, ou nas dependências do banco.

Os bancos facilitarão a realização de campanhas de sindicalização e o contato com os trabalhadores em teletrabalho.

Será criado um grupo de trabalho (GT) bipartite para acompanhar o cumprimento da cláusula.

Assédio sexual
A nova cláusula sobre assédio sexual fará repúdio à esta prática nos bancos e os gestores e empregados passarão por treinamento para prevenção e esclarecimento sobre medidas cabíveis pelos bancos. Também está em debate a participação das entidades sindicais no canal de denúncias a ser criado, assim como o acompanhamento dos casos pela comissão bipartite de diversidade que já existe.

Assédio moral e cobrança de metas
O tema será pautado na primeira reunião de negociação de 2023 dos bancos que têm comissões de empresa. Os bancos que não têm comissão de empresa devem realizar reunião específica com a representação dos trabalhadores para tratar do tema, a pedido do sindicato.

Complementação do auxílio doença
Com relação ao auxílio doença previsto na cláusula 29 da CCT, os bancos queriam estabelecer que somente teria direito ao auxílio o empregado que tivesse retornado ao trabalho e trabalhado ininterruptamente pelo período mínimo de 6 meses após o recebimento da última complementação. Após reivindicação do Comando, os bancos retiraram a proposta.

Segurança bancária
Criação de um Grupo de Trabalho Bipartite Específico para avaliar os dados estatísticos relativos à segurança bancária, bem como a possibilidade de acordo acerca da adoção de dispositivos de segurança, além dos obrigatoriamente previstos no artigo 20, da Lei n° 7.102/1983. O GT também avaliará dados estatísticos relativos à segurança bancária das unidades de negócios.

Assembleias

Sindicatos de bancários de todo o país realizam, nesta quarta-feira (31), a partir das 19h, assembleias para deliberação da proposta. O Comando Nacional dos Bancários recomenda a aprovação da proposta.

Texto descritivo da imagem aqui

Notícias Similares

Imagem ilustrativa

Comando Nacional dos Bancários entregará minuta de reivindicações à Fenaban no dia 18

No mesmo dia, trabalhadores do BB e da Caixa farão a entrega das minutas específicas de cada banco

Imagem ilustrativa

Bancários aprovam minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2024

Documento, que servirá de base à renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, será entregue à Fenaban no próximo dia 18

Imagem ilustrativa

Minuta de reivindicações da categoria vai à votação em todo o país

Assembleias serão realizadas nesta quinta (13), para que bancárias e bancários das bases representadas pela Contraf-CUT possam deliberar sobre minutas de reivindicações para renovação da CCT e dos ACTs

Imagem ilustrativa

Trabalhadores entregam minuta de reivindicações ao Santander

Encontro é o primeiro passo para o início das negociações do ACT específico dos trabalhadores do banco

Imagem ilustrativa

26ª Conferência Nacional aprova reivindicações da campanha

Aumento real de 5%, PLR maior e ampliação de direitos; fim do assédio e dos instrumentos adoecedores na cobrança de metas; defesa dos empregos, impactados pelos avanços tecnológicos no trabalho bancário; são três dos nove eixos de reivindicações

Imagem ilustrativa

Aumento real é prioridade para bancários

Consulta Nacional ouviu 46.824 trabalhadoras e trabalhadores da categoria em todo o país; aumento real, aumento da PLR e aumento maior para o VA e VR são as três prioridades econômicas

Imagem ilustrativa

Campanha Nacional dos Bancários 2024 vai conectar a luta de todos por um futuro melhor

Com mensagens simples e objetivas, campanha foca na reconstrução da confiança e na união dos bancários pela valorização da história de luta e conquistas da categoria

Imagem ilustrativa

Categoria desenvolve cartilha de atuação em redes sociais

Projeto, que já está em fase de finalização, foi apresentado durante 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

Imagem ilustrativa

Resultados e conjuntura impactam negociações deste ano

Reajustes obtidos pelos trabalhadores dos últimos 15 meses e manutenção da alta rentabilidade dos bancos podem favorecer negociações dos bancários

Imagem ilustrativa

Grandes empresas de tecnologia detêm informações políticas e econômicas

Controle de sistemas de busca, interação e armazenamento do mundo digital, por grandes corporações, concentradas em sua maioria nos Estados Unidos, geram um colonialismo digital

Não há mais itens para carregar no momento