Ataques criminosos afetam agências no CE; Sindicato cobra mais segurança para bancários e população

Nos últimos dias bandos ligados às facções criminosas, como foi informado à população estão cumprindo ordens vindas de dentro dos presídios para atacar os equipamentos e prédios públicos, também estão atacando as agências bancárias de Fortaleza, da Região Metropolitana e do Interior. O Sindicato dos Bancários do Ceará, atento à questão da insegurança pública e da insegurança bancária, cobra dos órgãos de segurança do Estado e dos bancos, medidas urgentes para restabelecer a paz social e o atendimento nas agências. Isto, para que a população possa transitar tranquila nesses locais públicos, bem como os bancários possam ter local adequado e seguro para trabalhar.

Lembra José Eduardo Marinho, diretor do Sindicato, que os bancários em sua minuta entregue à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) solicitam o monitoramento dos bancos a distância com interligação com os órgãos de segurança pública, para coibir ou pelo menos minimizar esse tipo de ataque às agências.  “Os banqueiros têm papel importante nisso, porque essa demanda dentro das tecnologias já existe, mas é subutilizada nos bancos. Se essa tecnologia fosse estendida para todas às unidades bancárias, iria reduzir o problema da insegurança, para a população e funcionários”, completou o dirigente.

Dias de terror na Capital e RMF

As mudanças nos presídios, anunciadas pelo novo titular da Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), Luís Mauro Albuquerque, emerge como a principal motivação para a ira das facções criminosas e para a série de ataques que aterrorizou a Capital e a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que começou na noite da última quarta-feira (2) e se estendeu a manhã de hoje, 4/1. Vários prédios públicos, veículos de transporte público, agências bancárias e até casas lotéricas foram alvos de ataques.

Logo na manhã desta quinta, 3/1, a agência do Bradesco no bairro Otávio Bonfim, na Av. Bezerra de Menezes, foi alvo de tiros na fachada. À noite, a Caixa Econômica Federal da Av. Francisco Sá, no bairro Jacarecanga, sofreu uma tentativa de incêndio e logo em seguida, no bairro São João do Tauape, na Av. Pontes Vieira, uma agência do Bradesco foi metralhada.

Durante a madrugada, a agência do Bradesco localizada no centro de Caucaia também foi atingida por tiros. O ataque aconteceu por volta da meia noite e os tiros quebraram parte da vidraça da agência.

Já em Pajuçara, bairro de Maracanaú, uma agência da Caixa Econômica Federal ficou totalmente destruída após um incêndio. Criminosos atearam fogo a um carro no local e, em seguida, lançaram o veículo contra a agência.

Nas últimas 48 horas foram mais de 50 ataques criminosos em todo o Estado. A situação fez com que o governador Camilo Santana (PT/CE) solicitasse reforço da Força Nacional para o Ceará, além de definir reforço policial e escala de emergência nas delegacias para prevenir novos ataques. A polícia já efetivou 45 prisões de envolvidos nas ações.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram