4º Congresso da CSI na Dinamarca faz ato em solidariedade a Lula e pede a sua liberdade

O 4º Congresso da Confederação Sindical Internacional (CSI), que está acontecendo em Copenhagen, na Dinamarca, entre os dias 2 a 7 de dezembro, prestou homenagens ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva logo na sua abertura e fez, no dia 4 de dezembro, um ato especial em solidariedade ao presidente, que é um preso político no Brasil, pedindo a sua libertação. Vai encaminhar uma moção neste sentido.

Realizado sob o tema "Fortalecer o poder de trabalhadores: Mudar as regras ", este congresso é o maior evento sindical do mundo, uma vez que a CSI é composta por 331 sindicatos (ou centrais sindicais) de 163 países, representando mais de 207 milhões de trabalhadoras e trabalhadores nos cinco continentes.

“Neste Congresso, o movimento sindical vai ter uma oportunidade importante para debater o avanço mundial do ultraliberalíssimo nas relações de trabalho, que vem retirando direitos e precarizando empregos. Vai ter oportunidade de reforçar a unidade mundial do sindicalismo, contando com a participação de todas as suas organizações afiliadas para pensar um projeto capaz de lidar com o poder econômico e político sólido das corporações transnacionais, dos governos e outros atores corporativos, que vem impondo a maior parte do mundo, um modelo econômico antissocial, cuja única prioridade é o enriquecimento e a manutenção dos privilégios de poucos” afirmou Roberto von der Osten, secretário de Relações Internacionais da Contraf-CUT.

Um ponto que vai ter centralidade nas intervenções será o recrudescimento, em partes do mundo, das intolerâncias, das discriminações, do racismo e da xenofobia, com o crescimento de partidos de extrema esquerda, fascistas e populistas de direita.

Ao longo deste Congresso, serão realizados quatro eixos de debates para orientar as políticas futuras da organização enfocando “Paz, democracia e direitos"; "Regulação do poder econômico"; "Transformações Mundiais – Apenas Transições"; e "Igualdade".

Para atingir estes objetivos, a CUT, que participa da direção representada pelo atual presidente da CSI, João Felicio, vai apoiar as mudanças representadas pela candidatura da atual secretária-geral da CGIL italiana, Susanna Camusso, para a Secretaria Geral da CSI, na esperança de ajudar a construir um CSI em que todas as regiões tenham voz e participação melhoradas.

Para Felício, “precisamos urgentemente construir alternativas solidas de união que coloquem como principal objetivo fortalecer o poder político do trabalho organizado e informal como um ator social fundamental na tomada de decisões e fortalecer objetivos essenciais para o progresso dos trabalhadores, como a luta contra a discriminação e a violência contra as mulheres, a defesa de um modelo socioeconômico ambientalmente sustentável e a garantia de que a atividade sindical seja respeitada em todos os cantos do mundo.”

Consideramos que as mudanças que a CSI deve implementar devem priorizar a defesa dos direitos sindicais, onde quer que estejam ameaçados ou que não existam. Para isso, os trabalhadores ameaçados e desprotegidos precisam de uma CSI que funcione de forma permanente e com uma agenda clara que seja suficiente para construir, nessas áreas, alternativas que orientem as decisões que as entidades precisarão tomar. A CSI deve enfrentar com propostas alternativas o programa político das corporações econômicas.

O futuro do trabalho é outro dos grandes desafios que o próximo mandato da CSI enfrentará, precisando participar ativamente das discussões sobre o tema na atual revolução tecnológica, mas acima de tudo colocar a Confederação Sindical Internacional como um verdadeiro agente da negociação coletiva global.

Programa do Congresso e debates

O Congresso, começou no domingo, 2 de dezembro, com discursos de Lars Løkke Rasmussen, primeiro-ministro da Dinamarca; Frank Jensen, prefeito de Copenhague; Guy Ryder, diretor geral da Organização Internacional do Trabalho; Lizette Risgaard, presidente da LO-Denmark; e João Antônio Felício, presidente da CSI.

Na segunda-feira, 3 de dezembro, pela manhã, foi realizada uma sessão plenária e a Secretária Geral da CSI, Sharan Burrow, abordou a situação dos trabalhadores no mundo, analisou os resultados da Conjuntura Global da ITUC 2018 e relatou a visita que fez ao presidente Lula na prisão em Curitiba.

No período da tarde o Congresso prosseguiu com três sub-plenárias: Futuro do Trabalho, Organização e Salário e Desigualdade. A plenária do Futuro do Trabalho contou com um painel apresentado por Phillip Jennings, ex-Secretario Geral da UNI GLOBAL UNION e apresentou os debates que a UNI tem feito e acumulado relativamente ao Futuro do Trabalho e seus impactos nas sociedades e na produção capitalista.

Na terça feira, dia 4 de dezembro a sessão plenária iniciou com um ato especial de solidariedade a Lula pedindo a sua liberdade. Foi lida uma carta que Lula mandou ao evento e os delegados presentes protestaram pela condenação sem provas e prisão do ex-presidente, bem como falaram das preocupações com o poder judiciário brasileiro que se recusou a cumprir resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que determinou que Lula teria direito de ser candidato às eleições presidenciais. Falaram sobre a preocupação da OEA com a disseminação de notícias falsas e violência no processo eleitoral. A ONU também compartilhou destas preocupações.

O Congresso também analisará campanhas de organização em empresas multinacionais, incluindo Samsung e Amazon; a organização no setor informal; planos de ação do governo para abordar a desigualdade, incluindo as disparidades salariais entre homens e mulheres; salário mínimo vital e proteção social; ação climática; e o futuro do trabalho.

Uma votação pública para escolher o pior chefe do mundo também será organizada durante o Congresso, e os dados sobre as tendências nos últimos cinco anos serão divulgados, derivados do Índice Global de Direitos e abrangendo as violações registradas entre 2013 e 2018.

O Congresso Mundial da ITUC está sendo realizado no Bella Center em Copenhaguen (Centre Boulevard 5), Dinamarca, e pode ser acompanhado ao vivo através deste endereço https://congress2018.ituc-csi.org/ bem como pelo Twitter através da hashtag #ituc18

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram